Oficinas online ganham destaque no período de quarentena

0
Foto: Pixabay

Para garantir a continuidade de aprendizado dos alunos inscritos nas oficinais de violão, teatro, dança e percussão desenvolvidas no Complexo Cultural Gonzagão e Centro de Criatividade, o Governo de Sergipe, através da Fundação de Cultura e Arte Aperipê (Funcap), segue dando apoio no fortalecimento das oficinas online produzidas por profissionais da área ligados à pasta.

Com a suspensão de atividades com público nas unidades culturais, baseado no decreto estadual 40.560 que visa medidas no enfrentamento à pandemia do Covid-19, os conteúdos digitais se apresentam como alternativa no período da quarentena.

“Todos foram pegos de surpresa no combate emergencial ao coronavírus. No entanto, é no período de crise que a criatividade aflora. A Fundação tem concedido apoio às oficinas online estimulando atividades culturais dentro de casa”, afirma o diretor de Cultura da Funcap, Fredson Santana.

De acordo com o professor de violão, Carlos Henrique Luciani (Barata do Cavaquinho), a iniciativa contribui na prática diária. “A partir da orientação da importância do isolamento social na ideia de minimizar os efeitos da pandemia, passamos a ofertar aulas de violão online com materiais teóricos em PDF e vídeos. Acredito que a ação colabora em manter a oficina ativa, ou seja, favorece a prática diária, além de resguardar a saúde mental e física dos nossos alunos”, explica.

O aluno Vitor Lemos comenta sobre o acompanhamento realizado. “Recebemos materiais que norteiam os estudos com o objetivo de praticarmos cada vez mais nesta fase. Todavia, compartilhamos também o nosso treino para que o professor avalie os avanços e efetue as devidas correções. É uma troca muito produtiva”, diz.

A professora de Iniciação Teatral, Grazzy Coutinho, utiliza as plataformas Skype e WhatsApp na troca de conteúdo. “Achei interessante nesse período investir em pesquisa. Em uma das aulas sugeri aos alunos que assistissem o documentário “Augusto Boal e o Teatro do Oprimido”, que aborda a trajetória do teatrólogo Augusto Boal, idealizador de técnicas comparadas a de grandes teóricos das artes cênicas, como Brecht e Stanislavski. Os principais objetivos dessa técnica teatral são a democratização dos meios de produção, o acesso das camadas sociais menos favorecidas e a transformação da realidade por meio do diálogo e do teatro”, frisa.

Dica

A indicação do documentário “Augusto Boal e o Teatro do Oprimido” serve também como dica ao público geral. “É uma obra fantástica e as pessoas que estão em isolamento social e apreciam a área vão gostar do material”, conclui a professora.

Fonte: Funcap/SE

Comentários