Ópera do Milho terá reestréia no São João

0

Missa de Santo Antônio será celebrada na Igreja da Vila
O governo de Sergipe vai anunciar a programação da Vila Chapéu de Couro no próximo dia 23, segunda-feira, às 20 horas, no bar e restaurante Cariri. Este ano, a Secretaria de Estado de Turismo traz muitas novidades, incluindo a volta do espetáculo Ópera do Milho, que reúne inúmeros elementos do ciclo junino. Em primeira mão, o Portal InfoNet ficou sabendo que o tema da festa será uma homenagem aos bacamarteiros.

 

A cidade cenográfica já começa a ser montada no próximo final de semana, na praça de eventos da orla da Atalaia. A programação tem início no dia 10 de junho e só termina em 31 de julho. É o mais longo festejo junino do Brasil. Nos três primeiros dias, o governo optou por grandes atrações. Valorizando os artistas locais, estarão presentes Clemilda e Amorosa. Depois, a idéia é que o espaço seja ocupado pelos trios pé-de-serra, quadrilhas e comidas típicas. O objetivo é atrair famílias e turistas.

 

A Secretaria de Turismo não pretende concorrer com a programação de outros municípios. Por isso, optou pelo São João tradicional. É tanto que em 13 de junho, quando se comemora o dia de Santo Antônio, será celebrada uma missa na igreja da cidade cenográfica. Outra novidade é que o tema da Vila será inspirado no grupo folclórico dos bacamarteiros. Será feita uma homenagem ao bacamarteiro mais antigo do Estado, que é de Carmópolis.

 

Espetáculo – A grande reestréia da Ópera do Milho será feita no dia 25 de junho. Em um artigo publicado pelo jornalista e historiador Luiz Antônio Barreto, em junho do ano passado, no Portal InfoNet, ele relembrou a história da peça. Foi em 1995 que a Secretaria da Cultura do Estado, associada a Fundação Joaquim Nabuco, promoveu em Sergipe o projeto CumpliCidades, com intercâmbio de grupos portugueses e espanhóis aqui, e grupos sergipanos e nordestinos em Portugal e Espanha.

 

Um dos grupos, o Guirigai, da Espanha, realizou com artistas locais um projeto de identificação da influência ibérica no ciclo junino sergipano. A pesquisa e a preparação de atores levou à montagem do espetáculo denominado Ópera do Milho, reunindo os elementos presentes na quadrilha, nos arraiais e nos cenários da festa junina. A gravidez de uma moça, que o rapaz não assume, a revolta do pai dela, as crenças e simpatias e os pedidos aos três santos do ciclo formam o argumento central do espetáculo, que será apresentado na Vila nos finais de semana.

 

Por Janaina Cruz

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais