Oswaldinho e Renato Borghetti: parceria à distância

0

O que a princípio pareceria estranho, deu certo. Um carioca e um gaúcho dividindo o mesmo palco, fazendo a mesma música: forró. Estes são Oswaldinho e Renato Borghetti. Amigos e parceiros musicais há muitos anos, os dois se encontram desta vez no palco Luiz Gonzaga, na última noite de Forró Caju. Oswaldinho, filho de nordestinos, ganhou sua primeira sanfona do pai aos seis anos de idade. A convivência com Domiguinhos, Sivuca e o próprio Gonzagão, que freqüentavam sua casa, influenciou a vida e a carreira de artista que, a partir do estudo de música erudita, adquiriu um estilo próprio de fazer forró. Já Renato Borghetti começou sua carreira profissional aos 16 anos. Aos 36, já havia gravado 15 discos. Com talento reconhecido, Renato encanta platéias de todo o mundo com sua gaita-ponto. Premiado em festivais, o tocador já dividiu o palco com artistas consagrados e com as Orquestras Sinfônicas de São Paulo e do Rio Grande do Sul. Parceria Assim, entre dois grandes artistas só poderia surgir uma grande parceria. E foi o que aconteceu. A mistura dos gêneros musicais de cada um conquista diversos públicos. “Numa festa nordestina como esta, onde o ritmo é o forró, nós vamos misturar também o vaneirão e a polca riograndense, gerando uma fusão, uma interação entre a cultura nordestina e a sulista”, explica Renato Borghetti, antes do show. Para Oswaldinho, é graças ao companheirismo e à amizade existentes entre os sanfoneiros brasileiros que parcerias como esta conseguem sobreviver à distância. “Nós já tocamos juntos há alguns anos. E vale registrar que a união entre nós tocadores de sanfona é que possibilita trabalhar com pessoas tão distantes fisicamente”, afirma o artista recém-operado, mas que, mesmo assim, fez questão de vir tocar no Forró caju. Por Alice Thomaz

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais