Otto faz show de abertura do Curta-SE 10

0

O cantor e compositor pernambucano Otto traz sua mistura de maracatu, samba e drum n’ bass para a abertura oficial do Festival Iberoamericano de Cinema de Sergipe (Curta-SE). O evento acontece nesta terça-feira, 14, no Teatro Tobias Barreto (TTB), a partir das 19h, e contará também com a exibição do longa-metragem ‘Vida de Balconista’, dirigido por Cavi Borges e Pedro Monteiro, com atuação de Mateus Solano.

Em mais uma passagem por Sergipe, o ex-percussionista do grupo Nação Zumbi mostra sua fusão entre ritmos tipicamente brasileiros e a música eletrônica, estilo explorado por ele com criatividade. Antes de ser projetado nacionalmente, Otto chegou a residir na França, apresentando-se como músico nas ruas e metrôs de Paris. Depois de integrar o Nação Zumbi, entrou no conterrâneo Mundo Livre S/A, com o qual gravou os discos ‘Samba esquema noise’ e ‘Guentando a ôia’.

Otto traz mistura de maracatu, samba e drum n’ bass para o Curta-SE 
Em 1998, o cantor decidiu se aventurar pela carreira solo, flertando assumidamente com o rap, maracatu e drum n’ bass. Sua obra é composta pelos álbuns ‘Baião de Viramundo’ (1999), ‘Changez tout – samba pra burro dissecado’ (2000), ‘Condom Black’ (2001), ‘Sem gravidade’ (2003) e o recente ‘Certa manhã acordei de sonhos intranquilos’ (2009), lançado no Circo Voador, casa de espetáculos carioca. Sua música se estendeu também para o cinema, compondo a trilha sonora dos filmes Amarelo Manga (2003) e Árido Movie (2006).

O ritmo singular atraiu o músico Allen Alencar, integrante da banda Elvis Boamorte e os Boavidas – também inserida na programação do Curta-SE. “Desde o videoclipe de ‘Bob’ o pernambucano me chama atenção. Mas, para falar a verdade, somente quando comprei o Condom Black fui a fundo na obra de Otto. Referências do candomblé, guitarras espaciais, funk e música eletrônica caminham de forma harmoniosa e instigante em sua música e, além do mais, o cara conta com uma banda de primeira!”, comenta Allen.

“O disco novo foi uma grata surpresa! Apesar de utilizar referências que sempre permearam seu som, ele conseguiu dar um ar mais melancólico ao disco que, inclusive, foi um dos mais bem elogiados pela crítica em 2009”, conclui.

Mostrando a importância da representação do cantor para o Curta-SE, a diretora operacional do Festival ,Deyse Rocha, considera Otto um artista relevante no cenário cultural. “Sabemos da representatividade que ele agrega na música e no cinema e seu nome foi o primeiro a ser cogitado para o festival”, diz.

Fonte: Ascom/Curta-SE

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais