POESIA EM ESTILHAÇOS – por Gustavo Aragão

0

 

Estilhaço-me feito lua estilhaçada

ao ser esmagada numa poça lamacenta,

situada numa rua qualquer;

 

Dissolvo-me em poesia liquefeita

ao pisar levemente num olho d’água

de palavras que furtam cores e

dizeres diversos.

                                    Por Gustavo Aragão

 

Todos os direitos estão reservados ao autor perante a lei de Direitos autorais.

Comentários