Ponto de Cultura produz filme inspirado na história do cangaço em Dores

0

O Ponto de Cultura contribui com a preservação dos aspectos culturais locais (Foto: Divulgação)

O Ponto de Cultura ‘Memória, Cultura & Cidadania’, da Associação de Incentivo à Pesquisa e à Cultura ‘Nossa Senhora das Dores dos Enforcados’, do município de Nossa Senhora das Dores, está promovendo uma ação para a comunidade local. Trata-se da produção de um filme, denominado ‘O fogo do cajueiro’, que conta a história do cangaço na região. O longa-metragem retrata a entrada dos bandos de Lampião e Zé Sereno na cidade de Dores e fatos marcantes deste período. 

Segundo o coordenador do Ponto de Cultura, Manoel Messias Moura, a atividade é bastante significativa, pois reúne um trabalho já consolidado à vertente do audiovisual, que é nova no Ponto. “Foram mais de seis meses de pesquisa até começarmos a escolher as locações, produzir o figurino e preparar os atores. Agora, já estamos começando a gravar algumas cenas que ainda não precisam das vestimentas, e temos gostado muito do início do trabalho”, afirma.

Messias informa que a idéia do filme surgiu através da determinação dos jovens Edson e Igor Santana, que moravam no Povoado Sucupira e realizavam trabalhos amadores de vídeo. “Identificando neles grande talento para o audiovisual e através do Projeto Memórias, buscamos fazer algo que incentivasse ainda mais o talento daqueles rapazes. Com a conquista do Ponto de Cultura, adquirimos recursos que tornaram o filme ainda mais viável”, observa.

Desvendando a história

Manoel Messias é ator e coordena o Ponto de Cultura em Dores (Foto: Asscom/Secult)

Por retratar fatos históricos, o filme está sendo muito aguardado pela população dorense, que se empenha e auxilia os produtores nas gravações. “O filme propõe trazer à tona fatos de relevância histórica até então desconhecidos pela maioria das pessoas, atuando assim na valorização do patrimônio histórico local e na construção dos laços de identidade para o povo de Dores”, acentua o coordenador no Ponto, Manoel Messias.

Depois de pronto, o filme será exibido em praça pública e nas escolas, sem qualquer ônus financeiro para o público. De acordo com os organizadores, a iniciativa tende a melhorar o turismo na cidade e a renda da população. “Este é um trabalho diferenciado e inédito no município, já que o cinema é algo novo em Nossa Senhora das Dores. Contar a história da cidade com seus moradores como interpretes e seus encantos como cenário, está sendo sem dúvida, muito prazeroso”, assegura Messias.

Quem também está bastante entusiasmado com a concretização e o bom encaminhamento do filme é Edson Santana, um dos idealizadores da produção. Ele que começou seus trabalhos de audiovisual amadoramente e com uma câmera fotográfica, hoje se aperfeiçoa e se dedica a este projeto que será de grande relevância para a cultura local. “Buscamos através do ‘Fogo do Cajueiro’, resgatar a história do nosso município e incentivar as pessoas na arte. Sinto-me realizado, pois descobri o audiovisual por acaso e fico muito feliz que uma simples brincadeira tenha virado algo tão sério e relevante para Sergipe”, lembra.

Por se tratar de uma produção independente, ‘O fogo do cajueiro’ deverá estar pronto até o final de 2012. Segundo Manoel Messias a ideia é que o filme seja lançado em praça pública. “Esperamos que tudo ocorra como fora planejado para que cumpramos o prazo. A ideia é fazer o lançamento da produção com a presença de pesquisadores do tema em Sergipe e de outros estados. Queremos também a presença de todas as instituições e pessoas envolvidas no projeto”, finaliza Messias.

Fonte: Asscom/Secult

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais