Prefeitura cria projeto de inventivo à leitura

0

A leitura amplia e diversifica o conhecimento do homem, enriquece o seu vocabulário, fortalece o raciocínio, a interpretação e, principalmente, aguça a imaginação. Pensando nisso, a Secretaria de Educação de Riachuelo, município distante 31 km da capital, implantou o projeto “Contador de histórias”, onde todas as sextas-feiras, diretores, professores, alunos e demais funcionários, reservam uma hora do horário letivo para ler.

“Paramos tudo e nos dedicamos única e exclusivamente à leitura. Pode ser um livro, jornal, revista, contanto que o conteúdo seja adequado. E para que o projeto seja realmente de incentivo, todos leem, sem exceção, principalmente os professores, que são os exemplos dessas crianças”, explica a secretária de educação, Suzana dos Santos.

Cerca de 60 professores da rede municipal estão envolvidos no projeto, que trabalha com alunos da alfabetização até o 6º ano do ensino fundamental. “São nove escolas que comportam mais 1.700 alunos. A leitura acontece separada por turma para que todas as crianças tenham oportunidade de ler. O projeto desenvolve a comunicação entre eles, a linguagem e, principalmente, a criatividade”, ressalta a gestora.

Prática 

Para avaliar o andamento do projeto as crianças e professores se reuniram ontem, 4, no auditório da secretaria de educação, para assistir algumas apresentações. A professora Gilvanete Batista, comenta como foi à preparação dos pequenos. “Eles escolheram os livros e baseado na leitura que fizeram nas escolas contaram suas próprias histórias. Foi surpreendente ver a desenvoltura e a criatividade deles”, detalha a educadora.

Estudando o 5º ano do ensino fundamental e com apenas 11 anos, Terezinha Torres encantou o público com a sua facilidade de narrar à história. Ela diz que conheceu o mundo dos livros ainda muito pequena. “Tem uma biblioteca vizinho a minha casa e eu sempre costumava ir com meu primo. Fui gostando dos livros, principalmente os de história infantil, e passei a ir lá todas as tardes. É uma diversão para mim”.

O gosto de Terezinha pelos livros foi contagiando o resto da família e hoje todos criaram o hábito de ler. “Meu pai gosta de ler jornal, minha mãe adora ler revista e eu gosto de tudo um pouco. Eu acho que ler é fundamental, a gente fica bem informado e também se diverte viajando pelo mundo dos livros”, afirma a pequena leitora.
Quem também conquistou o público foi Marcos lemos, de apenas 5 anos, aluno da alfabetização. Ele ainda não aprendeu a ler, mas adora ouvir as histórias contadas pela professora e depois recontá-la do seu jeito. “O Marcos presta muita atenção nas leituras. Nós ensaiamos a historinha que ele contou aqui hoje e foi um show”, diz a professora Gilvante, orgulhosa do desempenho do aluno.

Fonte: Ascom Prefeitura

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais