Projeto Fertilizarte é lançado em Laranjeiras

0

O Projeto Fertilizarte de Oficinas de Inclusão Cultural foi lançado nesta sexta-feira, 14, no auditório da Escola Profª Zizinha Guimarães, em Laranjeiras,  com a participação de autoridade locais e a comunidade. A cidade histórica de Laranjeiras e os povoados Mussuca, Pedra Branca e Bom Jesus serão palcos desse grande projeto de cultura e cidadania, envolvendo mais de setecentos 
estudantes das redes pública e privada de ensino. A inciativa tem o patrocínio da Petrobrás Fafen/SE, realização da Rede Sergipe de Cultura e apoio da FAESCL.

O projeto pretende fomentar a produção artística, oferecendo oportunidade de ocupação e renda aos inscritos nas oficinas de teatro, pintura acrílica, desenho de histórias em quadrinhos, 
modelagem em argila, serigrafia, cordel e percussão, além de palestras sobre patrimônio cultural do Vale do Cotinguiba, história da arte em Sergipe e noções de história da arte universal.


A solenidade foi aberta pelo coral da Fafen, regido por Antônio Sérgio Teles. A Filarmônica Santa Bárbara também fez uma apresentação especial no evento. O presidente do Conselho Gestor da Rede Sergipe de Cultura, Carlos Britto, falou da emoção em proporcionar cidadania aos jovens e adolescentes do município através da inclusão cultural. “A cultura vai dar sua contribuição para fazer o mundo melhor. Os jovens vão ter a oportunidade de se qualificar profissionalmente também”, disse Carlos Britto.

Autoridades prestigiam o lancamento do Fertilizarte em Laranjeiras
A prefeita de Laranjeiras, Ione Macedo, também participou da solenidade e destacou a necessidade que os jovens de Laranjeiras têm de projetos culturais de inclusão. “Tenho certeza que esse projeto vai ser um marco na história de Laranjeiras”, disse. O Gerente Geral da Petrobrás Fafen, Rosildo Silva, prestigiou o evento e falou sobre os incentivos da empresas em projetos culturais na cidade. “Nós temos um carinho muito especial por Laranjeiras e vamos fazer tudo que nos for possível para melhorar a qualidade de vida dos seus habitantes”, destacou.

O Projeto

O Fertilizarte será desenvolvido em dois módulos. O primeiro acontece de 24 de setembro a 22 de dezembro e o segundo módulo, será desenvolvido durante o Encontro Cultural de Laranjeiras de 2008, com apresentação dos trabalhos produzidos nas oficinas. “A expectativa desse projeto pioneiro na cidade é desenvolver um trabalho de qualidade com perspectiva futura de profissionalização dos jovens participantes. As oficinas foram montadas para serem desenvolvidas a partir da realidade deles”, disse o artista plástico Antônio Cruz, um dos coordenadores do projeto.


As aulas serão ministradas de segunda a sábado em cinco locais: Escola Zizinha Guimarães e Centro de Tradições em Laranjeiras; Associação de Pescadores no povoado Pedra Branca; Associação de Moradores na Mussuca e em Bom Jesus. Segundo o coordenador das Oficinas, o artista plástico Fábio Sampaio, todos os ministrantes têm vasta experiência não só com  
a arte, como a didática. “A expectativa do sucesso do projeto é grande. As crianças e adolescentes que vão participar estão muito empolgados”, destacou Fábio.


Os ministrantes utilizarão métodos diretos de ensino-aprendizagem através de exercícios práticos, que desenvolverão as técnicas e aprimorarão a sensibilidade artística, valorizando a subjetividade e a liberdade de expressão dos participantes.

Para o diretor executivo da Rede Sergipe de Cultura, João Paulo Neto, esse projeto tem um foco especial na profissionalização porque a idéia é criar, futuramente, uma cooperativa para que os artistas tenham uma via de comercialização de seus produtos. “A perspectiva é que esse projeto se repita em outros anos porque, sem dúvida, será uma forma de geração de emprego e renda para a comunidade. Nós temos uma responsabilidade muito grande”, enfatizou.

O artista plástico Antônio Cruz destaca que é muito importante esse trabalho de estimulo à produção artística e também há a necessidade de instigar a comunidade a se envolver na divulgação dos potenciais que a própria cidade possui. “É importante que a gente dê uma direção. Que o pessoal do teatro possa formar uma companhia, fazer apresentações na comunidade e outros locais. Preservar a cultura do cordel, retratar a história de Laranjeiras através dos quadrinhos, enfim, queremos homenagear esse universo muito rico de tradições e manifestações culturais”, conclui.


 

Comentários