Quinteto de Metais encerra a série Terças Musicais da ORSSE

0

Terça-feira, dia 30 de novembro às 20h, na Biblioteca Pública Epifânio Dória, será realizado o encerramento anual da série Terças Musicais, projeto da ORSSE que visa preparar,  aperfeiçoar e manter o nível técnico e musical dos integrantes da Sinfônica do Estado através da música de câmara, em um ambiente aconchegante e descontraído, mas com extremo profissionalismo, aproximando o grupo da comunidade.

O diretor artístico e maestro titular da Orquestra, Guilherme Mannis, explica que os concertos de câmara objetivam um trabalho dos músicos entre si, sem o direcionamento de toda a orquestra ou do maestro. “A “Terças Musicais” é mais uma série da nossa sinfônica que propicia músicas de qualidade para o nosso Estado. Além disso, com estas apresentações temos a afirmação de que Sergipe é capaz de fazer muitos concertos de excelente qualidade e tem público suficiente para essas séries”, comenta o diretor.

Neste ano, a série contemplou diversos segmentos da música de câmara, como quinteto de sopros, quarteto de cordas, orquestras de câmara, conjunto de trompas, entre outros, abordando todos os períodos musicais, desde a renascença ao século XXI, incluindo a Música Popular Brasileira.

Os locais das apresentações foram muito propícios para este tipo de formação porque são ambientes que aproximam os músicos do público, assim como é o caso da Biblioteca Pública Epifânio Dória e o recém inaugurado Palácio Museu Olímpio Campos. É uma iniciativa louvável, cuja prática começou em meados de 2004, precisamente no dia 26 de outubro com a participação da pianista russa Alla Dadaian. Pela Biblioteca já passaram grupos de extrema qualidade musical de nível internacional, como o Trio Berlin, a Orquestra da Academy St. Martin in the Fields, músicos como Emmanuele Baldini, Johannes Gramsch e Sylvia Thereza.

“Para este encerramento de temporada, o quinteto de metais, formado por dois trompetes, uma trompa, um trombone e uma tuba, formação tradicional oriunda da concepção de câmara de uma orquestra sinfônica. O surgimento dessa formação dos metais no séc. XX, só foi possível após a invenção das “chaves” ou “pistons” no séc. XIX”. Nos conta o maestro assistente Daniel Nery.

A entrada no evento é gratuita.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais