São João: tempo de festa e de cuidados

0

Junho é tempo de muita festa, diversão e forró. Mas é também quando dobram, e às vezes triplicam, os casos de queimados atendidos nas urgências médicas. Segundo o Cirurgião Plástico Reginaldo Lessa, durante o ano, são atendidos mensalmente uma média de 40 a 60 pacientes vítimas de queimaduras, sendo que, nessa época, o número de casos chega a ser 2,5 vezes maior, na proporção de 40% crianças e 60% adultos.
No entanto, engana-se quem acredita que os fogos de artifícios são os únicos responsáveis por esse aumento. Apesar de serem a causa de um número expressivo de acidentes eles não estão sozinhos. O aumento da atividade nas cozinhas domésticas, em função do preparo de comidas típicas como mungunzá, canjica e milho verde, juntamente coma utilização de líquidos inflamáveis, são responsáveis pela elevação no número de atendimentos principalmente de crianças entre 02 e 12 anos.
Os casos mais graves geralmente estão relacionados a fogos explosivos como bombas, pitus, foguetes, pistola, rojões e busca-pés que podem causar queimaduras e até mesmo levar a amputação da mão e do antebraço. A maior incidência desses acidentes é com adultos, diferente das lesões causadas por líquidos e alimentos em estado de fervura e substâncias inflamáveis, mais comuns com crianças. Nestes casos são comuns queimaduras de segundo e terceiro graus, que atingem principalmente a face, o tórax e o abdome.
O cirurgião Roberto Lessa orienta que nos casos onde apenas ocorrer queimadura, que se esfrie o local com água corrente. Já quando houver chama, deve-se apagá-la primeiro com um pano úmido, para só então esfriar a área queimada. E nos casos, onde ocorrerem outros tipos de lesão recomenda-se que, depois de esfriado o local seja coberto com um pano limpo. Contudo ele ressalta que é fundamental que a vítima seja encaminhada a urgência mais próxima, para atendimento apropriado.
Lessa dá ainda alguns conselhos para quem quer curtir os festejos juninos sem problemas. Primeiro é importante orientar as crianças sobre o perigo de brincar com fogos e substâncias inflamáveis. Segundo manter esses artigos longe do alcance delas. Terceiro não cozinhar segurando crianças no colo e mão permitir que elas permaneçam na cozinha durante o preparo de alimentos. E por fim, para aqueles que gostam de soltar fogos, não esquecer de usar luvas de couro e roupas que protejam todo o corpo. No mais é só curtir as festas e dançar muito forró.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais