Sergipe é o 2° do Nordeste que mais consome internet e cultura

0
IBGE mede consumo de produtos culturais (Foto: reprodução infográfico IBGE)

Em relação aos gastos das famílias com cultura, Sergipe é o estado do Nordeste que ocupa a 2ª colocação nesse quesito (gasto médio familiar de R$ 220,00), perdendo apenas para o Rio Grande do Norte (R$ 239,00). Vale ressaltar que o gasto com cultura pelos sergipanos é superior ao da média regional (que é de R$ 181,45). Dos itens que compõem a “despesa em cultura”, os “serviços de TV por assinatura e internet” foram aqueles que consumiram a maior parte do orçamento das famílias, representando 62,3% do total gasto.

Uso da internet, em Sergipe, por pessoas com mais de 10 anos de idade fica acima da média nordestina. Em 2017, dentro do período de referência da pesquisa (três meses), aproximadamente 65% da população em Sergipe com mais de 10 anos utilizaram a internet. Desta porcentagem, mais de 40% acessaram pelo microcomputador e mais de 99% também acessaram por celular. Já em Aracaju, 84,2% tinham utilizado a internet, sendo que 99,3% utilizaram através do celular.

Sergipe é o 2º estado nordestino com maior proporção de pessoas que utilizaram a internet (65%), ficando atrás apenas do Rio Grande do Norte, com 65,5%. A utilização da internet no estado de Sergipe em 2016 era de 57,7%. Aracaju é a capital nordestina com maior percentual de pessoas que utilizaram a internet (84,2%). Em 2016, essa porcentagem era de 78,1%. Em Sergipe, pessoas com 10 anos ou mais de idade que possuíam um telefone para uso pessoal representavam 73% e 85,4% em Aracaju.

Em relação ao Nordeste, Sergipe é o estado com 2ª maior proporção de pessoas que possuem celular. Só fica atrás do Rio Grande do Norte, com 76,1%. Em relação ao uso da televisão, em 2018, 97,3% da população sergipana tinha uma televisão com tela fina ou tubo, sendo que desses, 68,6% tinha televisão com tela fina de LED, LCD ou plasma.

Setor cultural

Sergipe conta com 37 mil pessoas ocupadas no setor cultural. Destes, mais de 50% têm de 30 a 49 anos e atuam de modo informal. Em relação ao grupo de idade de pessoas ocupadas na área da cultura, pessoas com 14 a 29 anos representam 30,5% e com 50 anos ou mais, 18,8%. A população de 30 a 49 anos, representa 50,1%.

Sobre a escolaridade das pessoas ocupadas, percebe-se um aumento de pessoas com ensino superior completo ou mais, tanto em Sergipe, como em Aracaju, em 2018. Em relação ao rendimento médio real habitual de pessoas de 14 anos ou mais de idades ocupadas no setor da cultura, o valor foi de R$ 1.545, em 2018. Em 2014, esse valor era de R$ 1.242. Em relação ao rendimento médio real (que leva em conta a inflação), das pessoas ocupadas na cultura que se autodeclaram brancas, o rendimento é de R$ 1.837, diante de R$ 1.440, dos pretos ou pardos. Apesar dessa diferença, os rendimentos aumentaram quando comparados com o ano de 2014.

Os dados, relacionados à cultura, tratam também de pessoal ocupado e salário médio, acesso aos equipamentos culturais e nível de instrução. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística nesta quinta-feira, 5. São dados referentes ao Sistema de Informações e Indicadores Culturais (SIIC). Este estudo traz cruzamentos de dados de pesquisas como Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), Índice de preços ao consumidor amplo (IPCA), Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD-C), Pesquisa Anual de Comércio (PAC), dentre outras.

Com informações da Ascom/IBGE

 

Comentários