Show de MPB reúne três grandes nomes

0

Para os apaixonados pela boa música, na próxima sexta-feira, 7, acontece a 1ª edição do projeto Miscelânea em um grande show que reúne três grandes nomes da cantoria e MPB como Muskito, Déo Miranda e Heitor Mendonça. O evento será realizado no restaurante PAIOL.

“A intenção do projeto é realizar um show por mês, inclusive com artistas de outros Estados sem restrição de ritmos, mas é claro mantendo uma música de qualidade. Teatro, poesia e artes em geral também se encaixam em nossas pretensões”, afirma um dos organizadores, Jayme Miranda. A entrada individual custa R$10,00 e mesa R$ 40,00. Os shows têm início a partir das 21 horas.

Heitor Mendonça

Heitor Mendonça iniciou sua vida nos palcos aos seis anos de idade, quando, participando do festival Prata da Casa no Paraná, ficou em segundo lugar. Aos treze anos de idade Heitor Mendonça participa de uma séria de apresentações com o grupo de Cantadores de Canudos na Celebração Popular e Histórica da Guerra de Canudos na Bahia, dividindo palco com cantadores como: Gereba, Dinho Oliveira, Roze e Fábio Paes. Ainda na Bahia participou do projeto Sons na Chapada, percorrendo toda a Chapada Diamantina com o cantor e compositor Wilson Aragão. Em Sergipe, participou do projeto Cantoria Versos e Viola, com Helvécio Santana, Joaquim Antônio e Wilson Aragão, e fez parte do conjunto música antiga Renantique, tocando alaúde. Em 2009 participou em parceria com o Maestro Muskito participou da etapa sergipana do Projeto MPB Petrobrás de Música e foi vencedor do 1º Atalaia Festival, promovido pela afiliada da TV Record em Sergipe, vencendo na categoria Terra com a música Rio Para Não Chorar, de sua autoria com o poeta sergipano Wedmo Mangueira. Em 2010 Heitor Mendonça realizou uma série de shows com o cantor e compositor Vital Farias pelos estados de Sergipe, Pernambuco e Paraíba.

Maestro Muskito

O maestro Carlos Mendonça, ou simplesmente Muskito, como é chamado, é reconhecidamente um dos mais notáveis músicos sergipanos. Desde o inicio de sua carreira, ainda nas bandas de baile, já acompanhava artistas de renome nacional como Wanderley Cardoso, Jerry Adriani e Nelson Gonçalves. Em 1981, em Salvador, ingressou na UFBA vindo a se formar em Composição e Regência. Apresentou-se em festivais e teatros baianos. Em 1987 fez uma turnê de 3 mêses pela França com a Banda Massa. Como “cantador” Muskito traça sua trajetória até os dias atuais, nas turnês com Vital Farias, Wilson Aragão, Heitor Mendonça, entre outros. E hoje é professor de Harmonia e improvisação da Escola de Artes Valdice Teles.

Déo Miranda

Déo é cantador enraizado nos folguedos populares, das batidas de cacumbi, do zabumba das folias de reis, das pisadas do samba de pareia, das visões de Artur Bispo do Rosário e de toda a fervura folclórica e artística que existe na forma mais rústica e pura, bem ali, em Sergipe, seu Estado de origem, e no nordeste e em todos os cantos do Brasil. Com essa fórmula fez um som, que não é só raiz e não é só moderno. Universal. Cantor e compositor, que encontrou nas raízes populares sua maior inspiração e principal matéria para a construção de sua personalidade musical. Pesquisador dos ritmos vindos dos folguedos brasileiros, principalmente do folclore nordestino. Essa diversidade de informações permitiu ao artista uma visão madura no seu processo de criação, produzindo um trabalho em que foi possível sintetizar todos esses sons e ritmos em uma sonoridade original e diferenciada, que se completa com a poética de seus textos, ricos em expressões incomuns do vasto vocabulário brasileiro e suas diferentes regiões, caracterizadas por tradições, crenças e saberes distintos.

Por Bruno Antunes

Comentários