Aracajuanos comentam valor da cesta básica

0

Feijão foi um dos ítens que mais apresentou queda
No mês de setembro a cesta básica de Aracaju mais uma vez recebeu o título de mais barata do país. Segundo dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), o valor correspondente à cesta foi de R$ 164,50 na capital sergipana. O consumidor local, no entanto, não parece tão empolgado com a notícia.

É o caso da catarinense Marli Vieira. Ela, que mora há 17 anos em Aracaju, chegou de viagem na quarta-feira, 6, após uma temporada no Sul. Segundo a consumidora, os preços dos produtos em Aracaju não são mais baratos que os da região Sul.

“Durante esta temporada em que estive lá fiz compras e pude perceber que os preços são os mesmos. Aracaju não está tão privilegiada assim”, acredita dona Marli, garantindo que os preços da carne e do leite são mais baratos no Sul do que aqui.

Dona Marli diz que no Sul os valores são os mesmos
O autônomo Ivan Almeida não discorda dos resultados apresentados pelo DIEESE. Por outro lado, questiona sobre os valores dos produtos nas demais regiões. “Se o preço dos alimentos no restante do país for mais caro do que aqui, nossos irmãos dos outros estados estão perdidos!”, brinca o consumidor.

Já a aposentada Valdice Oliveira diz que os preços estão bons, mas só nos mercados e nas feiras livres. “Os alimentos nos supermercados estão muito caros! Por isso só faço compras no mercado ou na feira, onde os preços estão mais em conta”, diz dona Valdice.

A feirante Fabiana dos Santos diz que oscilação de preços irrita os clientes
Segundo os feirantes do Mercado Albano Franco, os produtos que tiveram maior queda no valor foram o tomate, o feijão e o açúcar. “Há dois meses o quilo do feijão custava R$ 1,50. Hoje o
cliente leva por R$ 1,30, e pode encontrar até de R$ 1,00. Já o açúcar também baixou. Há algum tempo o quilo custava R$ 2,20. Hoje está a R$ 1,70”, explica a feirante Fabiana dos Santos.

De acordo com Fabiana, os consumidores costumam reclamar dos preços mesmo sendo a cesta básica de Aracaju a mais barata do país. “Eles reclamam principalmente quando há oscilação dos preços. Em uma semana o preço é um, na outra, sobe de forma espantosa. E isso acontece sempre” conta a feirante.

Levantamento

Quilo do tomate custava R$ 1,50 há dois meses
Para realizar a pesquisa da cesta básica nacional, o DIEESE acompanha os preços dos produtos alimentícios essenciais, conforme definidos no Decreto-Lei 399, de abril de 1938. Os produtos
pesquisados foram mantidos ao longo do tempo. São eles: carne, leite, feijão, farinha, batata, tomate, pão francês, café em pó, banana, arroz, açúcar, óleo e manteiga.

Devido à diferença dos hábitos de consumo nos vários estados do país, as quantidades mensais dos produtos na cesta básica são diferentes por regiões conforme definidos no decreto que, apesar de ter mais de 70 anos, continua em vigor.

Por Helmo Goes e Carla Sousa

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais