Atraso salarial leva vigilantes ao MPT contra empresas e Governo

0

Cerca de 500 vigilantes terceirizados têm enfrentado atrasos salariais desde o ano passado. A situação incômoda foi a pauta de uma intermediação do Ministério Público do Trabalho (MPT) nesta quarta-feira, 23. Com o Governo atrasando os repasses para as empresas, algumas não têm conseguido honrar os compromissos com os vigilantes. Parte dos funcionários da vigilância que presta serviço a Secretaria de Estado da Educação (Seduc), por exemplo, está paralisada desde a semana passada.

Confira a reportagem no vídeo:

 

O Sindicato dos Vigilantes de Sergipe informou que, durante a audiência, ficou acordado que o Governo pagará uma das faturas em atraso para a empresa que presta serviço à Educação (que estava presente na audiência), mas sem previsão de quitar o restante dos débitos. Há a possibilidade da demissão de 30% dos vigilantes ainda nesta semana. Nossa reportagem tentou confirmar a informação com a Seduc, que se prontificou a apurar, mas ainda não retornou com posicionamento. Permanecemos a disposição por meio do telefone (79) 2106-8000 ou e-mail jornalismo@infonet.com.br.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais