Aumento da tarifa de ônibus desagrada usuários

0
Aumento passou de R$ 3,10 para R$ 3,50 (Fotos: Portal Infonet)

Usuários do transporte coletivo acordaram neste sábado, 19, com o aumento da tarifa de ônibus que subiu de R$ 3,10 para R$ 3,50. A análise da planilha de custos foi feita pela Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), que verificou a necessidade de um reajuste de 12,9% do valor atual.

No terminal do centro da capital, a insatisfação era geral por parte dos usuários que utilizam o meio para trabalhar ou para o lazer nos finais de semana.

Josefina Andrade de Oliveira Batista conta que o aumento vai pesar mais para quem utiliza o transporte para ir trabalhar. “Para quem só usa o transporte para resolver alguma coisa como eu ou para ir visitar alguém não sente muito, mas fica caro para quem pega dois, três, ônibus para ir trabalhar como minhas irmãs porque o salário está uma miséria. E o aumento não está sendo só no ônibus, mas em tudo”, lamenta.

A trabalhadora Lenalda de Jesus que reside em São Cristóvão acredita que com o aumento do transporte coletivo, o preço do táxi-lotação também deva aumentar. “Eu moro em São Cristóvão e trabalho no DIA. Tenho que pegar mais de um ônibus e esse aumento é um absurdo. Além do aumento da passagem também vai aumentar a lotação que agora deve ir para R$ 4,00 reais”, garante.

Isabel Dionísia (Bolsa) e Josefina Andrade (sacola) 

Lenalda de Jesus acredita também que ocorra o aumento do lotação

Fernando Gaspar também se disse contra o aumento

Fernando Gaspar também foi contra o aumento. “É um absurdo porque iremos sentir no bolso. Foi péssimo esse aumento e ainda mais pelo aumento que foi de R$ 0,40 centavos”, conta.

Isabel Dionísia Soares conta que mesmo com o aumento, a opção é pegar o ônibus. “Um absurdo para as condições dos ônibus. Infelizmente não temos outra opção a não ser utilizar o transporte”, lamenta.

Setransp

Por meio de nota, a assessoria do Setransp informou que "o reajuste contraria a tarifa técnica apontada pela planilha de custos anual que foi apresentada em dezembro de 2016 ao Executivo e que a tarifa concedida pela Prefeitura de Aracaju não atende as necessidades do setor, haja vista que o reajuste apresentado ainda está em disparidade com a defasagem já existente de 29% no preço da passagem.

Essa defasagem é o reflexo da falta da majoração necessária da tarifa e os acréscimos anuais nas despesas para o serviço. Com isso, a situação sinaliza que as dificuldades devem seguir, inclusive com mais um aumento nos salários dos rodoviários em setembro", diz a nota.

Por Aisla Vasconcelos

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais