Banco do Nordeste aplica R$ 831,1 milhões em Sergipe

0
Com os recursos do FNE, o investimento é de R$ 544,4 milhões, em mais de 13 mil operações. (Foto: Ascom/BNB)

O Banco do Nordeste registra mais de R$ 831,1 milhões em aplicações no primeiro semestre em Sergipe. O resultado ultrapassa em mais de 7,8% o obtido no primeiro semestre do ano anterior. Somente com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), o investimento é de R$ 544,4 milhões, em mais de 13 mil operações.

O custeio agrícola, com destaque para a produção de milho, representa pauta especial no período em Sergipe, tanto em volume quanto em crédito aplicado. Ao todo, foram destinados R$ 231,1 milhões para 2.016 operações de custeio de milho, com alcance de uma área aproximada de 77,1 mil hectares. Na comparação com o ano inteiro de 2020, o crescimento é de 59% no valor aplicado e de 32% no total de contratos.

O setor rural (71,5%) responde pela maior parte dos recursos aplicados com FNE, seguida dos setores de comércio e serviços (21%) e industrial (7,5%).

Portes

Com recursos do FNE, o destaque em Sergipe foi registrado no segmento Pequeno e Mini Produtor Rural (PMPR), que atingiu R$ 214,2 milhões aplicados. Em seguida, vem o crédito destinado a micro e pequenas empresas, que registrou R$ 90,5 milhões.

Também apresentaram excelentes resultados as aplicações de R$ 78,4 milhões para o segmento Pequeno-Médio, além de R$ 55,3 milhões para produtores rurais vinculados ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Outro destaque foi a aplicação de R$ 1,8 milhão para projetos de energia renovável, por meio da linha de crédito FNE Sol.

Microcrédito

Com os programas de microcrédito, o Banco do Nordeste aplicou R$ 307,8 milhões em Sergipe. O Agroamigo contratou R$ 61,1 milhões, em 58 mil operações distribuídas a mais de 43 mil clientes. Já o Crediamigo registrou R$ 246,7 milhões investidos e alcançou 58,7% de crescimento em relação ao primeiro semestre de 2020. Os mais de 105 mil clientes da carteira totalizaram 103 mil operações.

“Se considerarmos o cenário de desafios para o setor produtivo, principalmente para o pequeno empreendedor do campo e da cidade, temos bons motivos para avaliar o papel do BNB. Ajudamos na sobrevivência das empresas, e na manutenção de emprego e renda, e o resultado se converte nos números. A superação de resultados traduz o trabalho eficiente de todo o corpo funcional de Sergipe, que continua focado para cumprir o planejamento traçado para 2021”, avalia o superintendente estadual do BNB, César Santana.

Fonte: Ascom/BNB

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais