BNB investe R$ 4,3 bilhões no segmento de micro e pequenas empresas

0
Em meio à pandemia, somente o programa de microcrédito urbano, Crediamigo, contratou, nesse período, R$ 4,9 bilhões por meio de 2 milhões de operações (Foto: BNB)

O Banco do Nordeste contratou, neste ano, R$ 4,3 bilhões com o segmento de micro e pequenas empresas (MPE), montante correspondente a 46,9 mil operações, com valor médio de R$ 102,6 mil. Trata-se do maior volume contratado pelo segmento na história do BNB.

Apesar do ambiente de crise sanitária que se prolonga há nove meses, com reflexos na economia, o desempenho do Banco do Nordeste superou em 29,9% o realizado nos onze primeiros meses de 2019, quando foram investidos, em MPEs, R$ 3,3 bilhões com as fontes FNE e recursos próprios, para o total de 39,7 mil operações.

Os recursos são oriundos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), por meio do Programa de Financiamento às Microempresas, Empresas de Pequeno Porte e ao Empreendedor Individual (FNE MPE), e de recursos próprios. As contratações beneficiaram os nove estados do Nordeste e o norte de Minas Gerais e do Espírito Santo, área de atuação do BNB.

Desempenho em Sergipe 

Em 2020, em Sergipe, foram contratadas 2,4 mil operações, equivalentes ao total de R$ 237,8 milhões, observando-se incremento de 38,7% nos valores e de 23,2% na quantidade de operações contratadas em relação a igual período de 2019, quando o Banco do Nordeste contratou, no Estado, 2 mil operações, para o montante de R$ 171,4 milhões.

Um dos segmentos mais importantes para a economia da Região, por ser forte gerador de emprego e renda, as MPEs geraram repercussões econômicas relevantes por meio dos investimentos contratados no Banco este ano. Somente de empregos formais e informais, a perspectiva é de que foram criadas 163,2 mil colocações na área de atuação do Banco.

Segundo estimativas do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), essas contratações poderão gerar impacto de R$ 1,5 bilhão na massa salarial e arrecadação de tributos da ordem de R$ 690,8 milhões. Da mesma forma, a perspectiva é de que as contratações no segmento gerarão R$ 8,4 bilhões no Valor Bruto da Produção e R$ 4,8 bilhões no Valor Agregado/Renda.

As micro e pequenas empresas constituem atualmente, no Banco do Nordeste, uma carteira com mais de 200 mil clientes.

Fonte: Assessoria/Banco do Nordeste

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais