Brasil arrecada R$ 1 trilhão em impostos

0

Alexandre Porto, presidente da Acese (Foto: Arquivo Portal Infonet)

Nesta terça-feira, 13, por volta das 11h30 o Impostômetro registrou a marca de arrecadação de R$ 1 trilhão de impostos no país. Em 2010, o Brasil só alcançou esse valor 43 dias mais tarde, em 26 de outubro, antecipação que revela o crescimento da arrecadação tributária nacional. A maioria das pessoas não sabe o quanto paga em impostos porque o sistema tributário não é transparente no país. A divulgação da  carga tributária, realizada pelas Associações Comerciais e Empresariais em todo o país, visa esclarecer os cidadãos fazendo com que se preocupem mais com esta questão e exijam a contrapartida em serviços públicos de qualidade, e fiscalizem como os recursos são aplicados.

Como aconteceu nacionalmente, o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Sergipe – ACESE – Alexandre Porto se mobilizou através de ações com a imprensa para chamar a atenção da população e do governo para o fato de que a economia do Brasil está crescendo e a arrecadação também. “É preciso que a população tenha consciência da alta carga tributária que paga e que deve cobrar melhorias do governo, não permitindo a criação de novos impostos, como vem se falando em retomar a CPMF para investir na Saúde”, declara Porto.

Desde a criação do Impostômetro em 2005, pela Associação Comercial e Empresarial de São Paulo – ACSP – e pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário – IBPT -, que gerencia os cálculos do equipamento com base nos dados oficiais sobre o orçamento e a arrecadação da União, dos Estados e dos Municípios, os empresários intensificaram este trabalho de conscientização da população.  No Impostômetro são registradas arrecadações de todos os impostos, taxas e contribuições recolhidas pelo Governo Federal, pelos Estados e pelos Municípios.

Distribuição de Impostos

Da arrecadação total de tributos, 69,5% vão para a União, 26% para os Estados e apenas 4,5% para os Municípios. A União repassa parte do que arrecada aos Estados e Municípios, e os Estados também repassam uma parte do que arrecadam para os Municípios. Esses recursos são utilizados para que os governos possam realizar suas tarefas e obrigações. Mas é preciso ressaltar que o Governo Federal pagou só de juros, no primeiro semestre, R$ 98 bilhões.

O presidente da ACESE Alexandre Porto destaca que a luta dos empresários não é pela não cobrança de impostos, mas sim por uma divisão justa e pela melhor aplicabilidade do que é recolhido. Porto observa ainda que, com o crescimento da economia, automaticamente se aumenta a arrecadação, ressaltando que não é necessária a criação de novos impostos para que o país arrecade mais. “É também por isso que defendemos a melhor aplicação dos recursos, a melhor distribuição, mas também a redução da carga tributaria pois com o desenvolvimento da economia é possível reduzir a carga sem haver perda na arrecadação”, analisa o presidente.

Feirão do Imposto

Neste sábado, 17, o Conselho de Jovens Empreendedores – CJE – da ACESE realizará o Feirão do Imposto. Assim como acontece em todo o país o movimento tem como objetivo, mostrar à população quanto se paga de impostos em produtos que consumimos no dia a dia. As ações acontecerão das 10 às 18h no Shopping Riomar e Calçadão da 13 de Julho. Durante todo o dia serão demonstrados produtos, quanto custam e qual o percentual de imposto que é pago naquele produto, a exemplo de refrigerantes, roupas, alimentos, gasolina, transporte público e outros.

Fonte: Ascom Acese

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais