Cai número de beneficiados do Bolsa Família em Sergipe

0
Bolsa Família: programa atende famílias de baixa renda (Foto: Alejandro Zambrana/Arquivo)

O número de beneficiados do Programa Bolsa Família caiu neste ano. Se comparado com o número de benefícios repassados pelo Governo Federal através da Secretaria de Estado de Inclusão, Assistência Social e do Trabalho, são 3.838 benefícios a menos. No ano passado, eram 292.319 beneficiados, neste ano o número de benefícios concedidos dentro do programa federal caiu para 288.481. Segundo a Secretaria de Inclusão, no ano passado 567 famílias pediram desligamento voluntário do Programa Bolsa Família, motivadas pela melhora das condições financeiras das famílias atendidas.

José Carlos: processo de elevação cadastral pode provocar queda no número de beneficiados (Foto: Pritty Reis/Ascom Secretaria de Inclusão)

Um outro fator que contribuiu para a queda no número de benefícios, segundo explicações do coordenador Estadual do Programa Bolsa Família, José Carlos Passos, está diretamente relacionado aos procedimentos rotineiros de averiguação cadastral. Nestes procedimentos, o benefício é bloqueado ou suspenso e há a consequente retirada da família do programa, quando a equipe observa que o beneficiado não apresenta o perfil adequado para continuar recebendo o benefício. Ele informa que anualmente este procedimento é realizado. Muitas vezes, o número de famílias beneficiadas aumenta, mas também cai em função da renda do beneficiário.

Apesar da queda no número de beneficiários do Bolsa Família em Sergipe, há indicadores que revelam que a situação do quadro de pobreza está aumentando, decorrente do longo período de estiagem e redução dos postos de trabalho. Essa situação, conforme a Secretaria de Estado de Inclusão, Assistência Social e do Trabalho, provoca aumenta na procura dos programas sociais mantidos pelo governo, a exemplo do Bolsa Família.

Alternativas

A Secretaria de Estado de Inclusão explica que o Programa Bolsa Família se estabelece como programa de transferência de renda direta e se firma como condicionalidade nas áreas de saúde e educação. Observando que o programa reflete diretamente na redução da mortalidade infantil e nos índices de alfabetização, além de se firmar como meio de fomento de ações para promoção de capacitação profissional e de inclusão produtiva.

Segundo informações da assessoria de imprensa, o Governo do Estado está definindo metas e ações para enfrentar a extrema pobreza em Sergipe. Há em andamento o planejamento estratégico, que prevê o mapeamento da pobreza, permitindo a identificação das localidades onde essas pessoas estão vivendo. As famílias são incluídas no Cadastro Único e são inseridas em outros programas sociais, que passam pelo aperfeiçoamento dos programas de transferência de renda e segurança alimentar, além da instituição de uma política estadual de trabalho e renda.

por Cassia Santana

Comentários