Campo de Carmópolis completa 54 anos de produção

0
Maior campo terrestre corresponde a 47% da produção em SE

A Petrobras comemora, nesta terça-feira, 15, os 54 anos da descoberta do Campo de Carmópolis, em Sergipe. Carmópolis é o maior campo terrestre do Brasil, tanto em termos de volume original de óleo em reservatório (1,76 bilhão de barris de óleo equivalente), quanto em termos de reservas totais (165 milhões de barris de óleo equivalente). Ele responde por 47% da produção e 49% das reservas totais do estado.

Atualmente, são cerca de 1.050 poços produtores em atividade e produção acumulada até julho/2017 de 388,2 milhões barris de óleo e 2,351 milhões de m3 de gás. A longa produtividade deve-se aos investimentos para aumento da fração recuperada, que atualmente está próximo de 22%, índice acima da média de campos similares com mais de 50 anos de produção.

Para incrementar a produção dos campos terrestres de Sergipe, a Petrobras está executando projetos de revitalização, com investimentos complementares acima de R$ 600 milhões no período de 2017 a 2019.

História 

O desenvolvimento do campo de Carmópolis impulsionou a atividade petrolífera no estado de Sergipe e permitiu a perenidade da atuação da companhia no início da década de 60. Contribuiu, ainda, para a formação de uma geração de profissionais que atuam na área de Exploração e Produção da Petrobras. Carmópolis foi, também, laboratório para o desenvolvimento de novas tecnologias aplicadas à produção terrestre e marinha. Como exemplo tivemos a perfuração de poços horizontais e multilaterais, bem como da tecnologia voltada para otimizar a caracterização dos reservatórios de petróleo (conhecida como injeção de traçadores). Foram aplicadas, ainda, novas técnicas de multifraturamento de poços horizontais, além de tecnologias de “completação inteligente”, com o objetivo de controlar remotamente a produção dos poços.

Com uma área de 170 km2, compreende os municípios de Carmópolis, General Maynard, Rosário do Catete, Maruim, Japaratuba e Santo Amaro das Brotas.

Fonte: assessoria da Petrobras

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais