Carreteiros devem disponibilizar 70% do efetivo em greve

0
Carreteiros estão em greve (Foto: Sindilimp)

Os carreteiros da unidade de transbordo da Estre deverão elevar para 70% o número mínimo de motoristas que devem operar o transporte de resíduos a partir do local de transbordo para o aterro sanitário. A determinação é do Tribunal Regional do Trabalho de Sergipe por meio do desembargador do Trabalho, Thenisson Santana Doria, mediante dissídio coletivo ajuizado pela empresa Estre.

Mesmo com a nova decisão, os carreteiros continuam em greve por tempo indeterminado. Cerca de 20 trabalhadores estão mobilizados, mas segundo o Sindilimp, 40% do efetivo continua trabalhando. A categoria reivindica o piso salarial da categoria equivalente a R$ 2.079, além do retorno do recebimento do adicional noturno que foi retirado dos trabalhadores.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Limpeza Pública e Comercial de Sergipe (Sindlimp), Reivanderson Fernandes dos Santos está acompanhando a mobilização dos funcionários. “Teremos uma mediação no Ministério do Trabalho e vamos aguardar que a empresa tenha uma proposta. Apesar do acordo com a Cavo, os trabalhadores da Estre não foram contemplados com o salário base. A empresa está fazendo o recolhimento do lixo a "passo de tartaruga" e não sabemos o motivo”, informa.

O Sindelimp acrescenta que tomou conhecimento por meio da imprensa na tarde desta segunda-feira, 21, de uma decisão que altera o percentual mínimo em atividade durante a greve dos carreteiros, mas ainda não foi comunicado oficialmente. Assim que a ordem judicial for entregue ao Sindicato, serão adotadas as providências jurídicas para responder os termos da ação.

Estre

A Estre informa ainda que os serviços vêm sendo prejudicados desde sexta-feira, 17/08, quando vinte motoristas cruzaram os braços. Trata-se de um grupo pequeno na comparação com os 400 trabalhadores que aceitaram a proposta da empresa.

A Estre reitera sua disposição para o diálogo como melhor forma de encaminhamento de propostas e está adotando todas as medidas cabíveis para a pronta normalização dos serviços", diz a nota.

*A matéria foi alterada às 15h32 para acréscimo de nota do Sindilimp

Por Aisla Vasconcelos

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais