Cesta básica em SE é a vigésima primeira mais cara

0
Produtos tiveram elevação de preços, exceto a farinha (Foto: Arquivo Infonet)

A partir de janeiro de 2016, o DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) passou a realizar o levantamento do preço do conjunto básico de bens alimentícios em todas as capitais brasileiras. Além das 18 cidades, a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos foi implantada em outras nove: Cuiabá (MT), Palmas (TO), Maceió (AL), São Luís (MA), Teresina (PI), Macapá (AP), Rio Branco (AC), Porto Velho (RO) e Bom Vista (RR).

A cesta básica em Sergipe custou R$ 350,73, a vigésima primeira mais cara entre as 27 cidades pesquisadas pelo DIEESE. Entre dezembro de 2015 e janeiro de 2016, apresentou variação de 14,71%.

Em janeiro, todos os produtos tiveram elevação de preços, exceto a farinha (-0,70%). Para o tomate (59,28%), banana (19,02%), açúcar (18,14%), feijão carioquinha (17,56%), as elevações foram acima da registrada no total da cesta (14,71%). Outros itens apresentaram aumentos inferiores: carne bovina (7,64%), pão francês (6,93%), óleo de soja (6,46%), leite integral (3,83%), café em pó (3,57%), arroz agulhinha (2,04%), e manteiga (1,72%).

O trabalhador sergipano cuja remuneração equivale ao salário mínimo necessitou cumprir, em janeiro, jornada de 87 horas e 41 minutos, maior que às 85 horas e 22 minutos registradas em dezembro de 2015. Em janeiro de 2016, o custo da cesta em Sergipe comprometeu 43,32% do salário mínimo líquido, isto é, após os descontos previdenciários.

Fonte: Dieese

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais