Com bancos em greve, casas lotéricas ficam lotadas

0
Longas filas e insatisfação: os efeitos da greve nos bancos
(Fotos: Portal Infonet)

Completadas 48 horas desde o início da greve dos bancários em âmbito nacional e sem sinais de uma solução para ainda esta semana, as pessoas que pretendiam realizar algum tipo de serviço nas agências bancárias em Sergipe já estão procurando alternativas, a exemplo das caixas lotéricas. Essas unidades espalhadas por toda a capital passaram a receber maior número de pessoas e consequentemente, as filas de espera se estendem mais do que estamos acostumado.

Na região do centro de Aracaju, por exemplo, onde estão situadas muitas agências bancárias, sejam elas privadas, federais ou estaduais, todas se encontram com os cartazes de greve nas vidraças e apenas os caixas eletrônicos estão à serviço da população. No entanto, há pelo menos três casas lotéricas no entorno da região que têm sido os destinos das pessoas com contas a pagar.

Algumas faturas como de água, energia, e outras contas simples são possíveis pagar nas lotéricas, mas tem serviços que nessas unidades não estão disponíveis. “Nem tudo dá para fazer aqui [lotérica]. Eu diria que 70% posso resolver agora, mas o restante tem que ser no meu banco”, afirmou Rionaldo Feitosa, em referência a alguns boletos exclusivo da sua agência bancária.

Cartazes nas vidraças sinalizam inatividade das agêncais 

Já para Robério Batista, o clima de insatisfação com a greve dos bancários é claro nas suas palavras. “Quando você aceita assumir uma função, precisa ter ciência das condições que ela lhe oferece. Não adianta entrar em greve toda vez que estiver insatisfeito e prejudicar outras pessoas que não tem nada a ver com isso”, bradou, enquanto esperava na fila de uma das caixas lotéricas do centro de Aracaju.

Greve

Paralisados desde a última terça-feira, 6, os bancários cobram um reajuste salarial de 14,74%. Esse percentual, de acordo com Ivânia Pereira, presidente do Sindicato dos Bancários em Sergipe, corresponde à inflação acumulada [9,74%] e o restante representaria 5% de ganho real à categoria. Os agentes bancários já rejeitaram uma proposta de 6,5% da classe patronal. Nesta sexta-feira, 9, às 10h em São Paulo-SP, a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) se reunirá com os sindicatos dos bancários para uma nova rodada de negociação.

De acordo com Ivânia Pereira, em Sergipe 70% das agências bancárias já aderiram a paralisação. O mesmo percentual vale para a capital. “É importante a greve ganhar corpo. É sempre difícil parar tudo porque alguns bancários continuam com serviços internos das agência para não prejudicar ainda mais a população”, explicou a sindicalista.

Nas agências bancárias do centro, apenas caixas eletrônicos funcionam

Por Ícaro Novaes e Raquel Almeida

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais