Começa a vigorar nova padronização de plugues e tomadas

0

(Foto: Portal Infonet)

A partir desta sexta-feira, 1º, as lojas no comércio somente poderão vender aparelhos eletroeletrônicos dentro do padrão brasileiro Plugues e Tomadas. Desde 2006, todas as novas construções de moradia só recebem o 'Habite-se' se tiverem o padrão brasileiro. O novo padrão serve para dar mais segurança na utilização dos aparelhos.

De acordo com o gerente do Inmetro em Sergipe, Miguel Angelo Seixas, as novas tomadas praticamente eliminam problemas como choques e curto circuito. “O risco que ocorre nas tomadas antigas é o aspecto de segurança, pois elas ocasionavam choques e mal contato. Se não tiver uma interação correta entre a tomada e plug pode haver riscos, então esse novo modelo de plugue e tomada traz uma maior segurança”, destaca.

Antes da padronização, o consumidor convivia com mais de 12 tipos de plugues e oito tipos de tomadas diferentes, tanto de produtos fabricados no País como de importados, o que tornava necessário o uso indiscriminado de frágeis adaptadores para ligação dos aparelhos, com diferentes plugues nos diversos modelos de tomadas existentes. Em alguns casos, os formatos e as potências distintas dos aparelhos tornavam o simples ato de ligá-los à tomada uma ameaça à segurança do usuário, que poderia ser vítima de choque elétrico ou de um incêndio provocado por curto-circuito.

Os novos plugues podem ser de dois pinos ou de três para os aparelhos que precisam de aterramento. Os pinos ou orifícios podem vir com diâmetro de 4 milímetros para aparelhos de até 10 amperes e de 4,8 milímetros tanto o pino como orifício para aparelhos que operam entre 10 a 20 amperes.

Para quem ainda não quer mudar todas as tomadas de casa ao comprar novos aparelhos, uma opção mais barata é a compra de adaptadores.

“Pensando no consumidor para que ele não tenha o custo todo de trocar as tomadas, o Inmetro regulamentou o adaptador. O problema não é usar os adaptadores, o Inmetro regulamentou para as pessoas que não quiseram adaptar essa tomada. É importante o consumidor estar ciente de que o eletrodoméstico novo não vai adaptar à tomada antiga”, finaliza Miguel.

O que mudou

• Acabam os plugues de pino chato; os aparelhos passam a ter plugues somente com pinos redondos. Dependendo das características do aparelho, ele poderá ter plugue de dois ou três pinos.
• O terceiro pino funciona como fio terra dos produtos que precisam de aterramento para evitar choques, desde que a instalação elétrica residencial disponha de aterramento.
• Os pinos terão diâmetros diferenciados de acordo com a corrente elétrica que o aparelho necessita para funcionar. Essa informação deverá constar na embalagem dos produtos. Terão um diâmetro para aparelho que operam com até 10 ampères e outro para os que operam entre 10 e 20 ampères. Isto impede que um aparelho de maior amperagem possa ser conectado em instalação de até 10, sobrecarregando-a.
• Em cerca de 20% dos casos o usuário poderá ter dificuldades de conexão entre os plugues e tomadas padronizados e os antigos. Nestes casos idealmente deve ser trocada a tomada, utilizando-se a padronizada. Entretanto, objetivando minimizar eventuais transtornos na fase de adaptação, admite-se o uso de adaptadores que, ao contrário dos anteriores não padronizados, foram regulamentados e certificados e atendem a requisitos mínimos de segurança.

Vantagens do uso do padrão

• Maior segurança para o usuário contra choques elétricos por contatos acidentais
• O novo formato de plugues permite um contato mais eficiente com a tomada, evitando aquecimentos que podem levar a acidentes como incêndios e curto-circuito.
• O contato mais eficiente com a tomada ajuda a evitar o desperdício, promovendo economia no consumo de energia elétrica.
• O usuário terá adequada segurança se a residência for aterrada, em aparelhos que usam plugues de 3 pinos.
• Impossibilidade de conexão dos plugues usados em aparelhos que trabalham com mais de 10 ampères em tomadas de instalações dimensionadas para menos de 10 ampères, impedindo sobrecargas.
• Todas as novas edificações só recebem o habite-se mediante o cumprimento do padrão, de acordo com Lei Federal promulgada em 2007.

Por Bruno Antunes com informações do Inmetro

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais