Comercialização de Pitu está proibida no Estado

0

A decisão vale por tempo indeterminado (Fotos: Portal Infonet)

Está proibida desde o início do mês de novembro a captura ou comercialização do pitu. A decisão é do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e passa a valer por tempo indeterminado. O motivo se deve por conta do crustáceo está incluído entre as espécies de invertebrados aquáticos em extinção.

Para o comerciante do mercado Albano Franco, José Gonçalves Lima, a decisão poderá causar prejuízos nas vendas. “Ainda tenho cerca de uns 20 quilos em estoque, só que agora a comercialização está proibida. Quer dizer, além dos sergipanos, quem vai sair perdendo é o turista que vem aqui pra Sergipe e quer comprar o pitu, mas não vai poder”, lamenta Gonçalves.

Defeso

Também no dia 1º de novembro teve início o defeso do pescado. A pesca na região do Baixo São Francisco fica restrita até o dia 28 de fevereiro de 2012. A medida é por conta do período da piracema, quando os peixes sobem as correntezas dos rios nadando até a cabeceira para se reproduzirem.

O comerciante José Gonçalves

De acordo com o superintendente do Ibama no Estado, Manoel Rezende, está permitida apenas a pesca de espécies não nativas da região do Baixo São Francisco. “Essas são que podem ser capturadas a exemplo da tilápia, carpa e tucunaré, já as de Surubim, Pacu e Curimatã estão proibidas sendo que não podem ser capturadas no leito do rio”, garante.

Quem for pego comercializando sem que possua os comprovantes de estoque, poderá sofrer uma multa de R$ 700 a R$ 100 mil reais, acrescidos de R$ 20 reais por cada quilo do produto apreendido.

Por Aisla Vasconcelos

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais