Construção de Usina Nuclear pode trazer mais de U$ 4 bilhões para SE

0

O secretário Jorge Santana falou sobre a importância do debate
Com a intenção de discutir o impacto que a instalação de uma Usina Nuclear traria para Sergipe, está sendo realizado durante toda esta sexta-feira, 21, o 3º Workshop de Energia Nuclear do nordeste. O evento reúne políticos, engenheiros, ambientalistas, ONGs, lideranças comunitárias, técnicos do setor e estudantes. A instalação da tecnologia termonuclear pode trazer um investimento inicial de U$ 4 quatro bilhões para o Estado.

Antes disso, é necessário proporcionar o debate sobre a construção desse tipo de fonte de energia. Na realidade, a idéia é a construção de um núcleo que pode comportar até seis usinas nucleares. A primeira etapa de escolha é técnica do ponto de vista da seleção da localidade ideal. A decisão final será política do Presidente da República com aprovação do Congresso Nacional.

Workshop reuniu público diverso para esclarecimentos sobre a tecnologia nuclear 
De acordo com o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia e do Turismo (Sedetc), Jorge Santana, é fundamental promover o debate e troca de idéias com a sociedade. “O governo promoveu o workshop e acredita que é importante para Sergipe, mas só aceitará a instalação de uma usina no Estado se tiver o apoio popular”, disse.

Para o deputado Federal Albano Franco, que é um dos maiores defensores da instalação da usina termonuclear no Estado, o investimento de U$ 4 bilhões traria benefícios. “Primeiro porque o Nordeste hoje você tem que reconhecer que não tem mais possibilidade de ampliar a energia através dos Recursos Hídricos, além disso, existem três fatores que facilitariam a vinda para o Estado: as águas de Xingó, facilidade na distribuição da energia e localização geográfica, pois estamos entre dois grande centros como Recife e Salvador”, opinou.

Deputado Albano Franco é um dos maiores defensores da instalação de Usina Nuclear no Estado
Segundo o supervisor para novos empreendimentos da Eletrobrás, Drausio Lima Atalla, a escolha deve ser definida até o fim deste ano. “O processo está em andamento, o objetivo é escolher o sítio até o final do ano, um dos locais seria na região do baixo do São Francisco e outra no alto do São Franciso”, informou.

A construção de uma usina nuclear demora entre 8 e 10 anos, já o tempo de vida útil de uma usina pode ser de até um século. Para Drausio Atalla, além da eletricidade, a construção da usina emprega um número grande de mão de obra. “Essa mão de obra tem que ser com mais qualificação, seria um grande investimento para o Estado em que for instalada”, falou.

Descarte de rejeitos

Maquete do reator nuclear de uma usina
Uma das grandes preocupações sobre o funcionamento de uma Usina Nuclear é com relação ao descarte do lixo radioativo. Atualmente existem tecnologias seguras para o gerenciamento de rejeitos de média e baixa atividades, desde sua coleta até o armazenamento nos depósitos iniciais. Esses rejeitos são acondicionados em embalagens metálicas, testadas e qualificadas pela CNEM e transferidos para o deposito inicial, construído no próprio sítio da Central Nuclear. Este depósito é permanentemente controlado e fiscalizado por técnicos em proteção radiológica e especialistas em segurança Eletronuclear.

Já os elementos combustíveis usados, que constitui o rejeito de alta atividade, são colocados dentro de uma piscina no interior das usinas – um depósito intermediário de longa duração -, cercada de todos os requisitos de segurança exigidos nacional e internacionalmente. (Fonte: Assessoria de Imprensa/Eletrobras)

Por Bruno Antunes

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais