Consumidores podem cancelar viagens a países

0

A recomendação do Ministério da Saúde para que brasileiros evitassem viagens a países da América do Sul com grande número de casos de Influenza A (H1N1), como Argentina e Chile, gerou grande número de cancelamentos de pacotes e viagens internacionais em agência de turismo. A Coordenadoria de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon/Se), alerta os consumidores para a possibilidade de alterações ou reembolsos de viagens.

De acordo com Gilsa Brito, diretora do órgão, as agências ou empresas aéreas não podem cobrar multas ou quaisquer taxas para as modificações. “O que está em jogo é a saúde do consumidor, é necessário protegê-la”, diz. Nesse sentindo, ela faz uma orientação: “O consumidor pode pedir rescisão de contrato ou restituição do valor pago. Caso ele tenha feito um parcelamento, pode pedir de volta o valor pago e não quitar as restantes”, diz.

Argentina e Chile são principais destinos com cancelamentos
Gilsa recomenda, ainda, que o consumidor pode optar pela modificação do destino, sendo que só pode pagar acréscimo se o novo itinerário for maior. “É importante que ele saiba que não deve pagar nada e, no caso de alguma insistência por cobrança, procurar o Procon ou entrar com uma ação na Justiça”, ressalta.

Mudança de planos

O casal Karinéia Cruz e Franklin Souza planejavam uma viagem de lua-de-mel a Buenos Aires desde o mês de abril. Os planos foram mudados na última semana, devido à recomendação do Governo. “Uma situação inesperada põe à prova nossos nervos. É uma chatice acabar mudando algo tão planejado, assim em cima da hora”, diz a jornalista.

 

Gilsa Brito orienta consumidores sobre a melhor forma de cancelar  
Segundo ela, mesmo com o anúncio feito pelo Ministério da Saúde, a empresa insistiu que eles mantivesse a viagem. “Eles usaram todos os tipos de argumentos, alegando, inclusive, que a mídia estava alardeando o caso”, conta. “A saída foi mudar o destino e ficar com um crédito para viagens posteriores”, acrescenta.

O Portal Infonet procurou duas agência para tratar do assunto. Apesar de pedirem para não serem identificados, dois consultores de vendas revelaram que o número de cancelamentos é grande, principalmente para Argentina e Chile, e que novos destinos estão sendo cotados, principalmente no Brasil. Gramado, no rio Grande do Sul, e outros lugares do Nordeste, estão entre as opções.

Com relação a cobranças para cancelamentos, ambos alegaram que tudo está sendo feito conforme as exigências do Procon. Hotéis e empresas aéreas estão reembolsando clientes sem maiores problemas.

Comentários