Contribuintes buscam ajuda na reta final da declaração

0

 

Contribuintes buscam ajuda de especialistas
Muitos contribuintes sergipanos preferem confiar a declaração de Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) a contadores. Os motivos são vários: falta de tempo, dificuldade de entender o sistema de declaração, dificuldade de usar o computador e até mesmo, dificuldade de entender o que é o IR.

 

“Chega gente aqui que nem sabe se deve declarar ou não”, diz o contabilista Airton Alves. De acordo com ele, alguns até tentam fazer a declaração por conta própria, mas acabam desistindo e procuram os serviços de um profissional. “A maioria só sabe que teve imposto retido na fonte e quer esse dinheiro de volta. Claro que nem todos vão receber, alguns vão pagar”, explica.

 

Os preços cobrados por contabilistas variam, em média, de R$ 25 a R$ 100, dependendo do tipo de declaração a ser feita. Airton Alves orienta os contribuintes, a, no momento de solicitar um serviço

Mariana Dórea
como esse, levar o Comprovante Anual de Rendimento (entregue pela empresa em que trabalha), a declaração anterior e comprovantes de despesas dedutíveis, como saúde e educação.

 

Gratuito

 

Para quem tem dúvidas, mas não pretende pagar para fazer a declaração, existem alguns serviços gratuitos. Os auditores da Receita Federal em greve realizaram uma mobilização prestando esclarecimentos à população sobre o IRPF 2008. É possível que outro plantão como esse seja realizado antes no final do prazo de entrega de declaração, que vai até o próximo dia 30.

 

Já o curso de contabilidade da Fanese realiza um plantão até o dia 30, sempre das 14h às 19h, no segundo piso do Shopping Riomar. A coordenadora do projeto e do curso, Mariana Dórea, conta que a procura tem sido grande até o momento, uma média de 20 atendimentos por tarde, número

Genisson Sabino preferiu buscar ajuda para fazer a declaração
que deve aumentar ainda mais nos últimos dias para o prazo final.

 

“Vem todo o tipo de público procurando orientações e que não está disposto a pagar um contador”, explica a coordenadora. Para ela, muita gente procura esse tipo de serviço por comodidade. “O programa da Receita é auto-explicativo, muito fácil de usar”, acredita.

 

O contribuinte Genisson Sabino, por exemplo, confessa que nem tentou fazer a declaração por conta própria. “Não tenho certeza de como fazer e também não ia saber se daria tempo, preferi procurar ajuda”, conta. Dentre as dúvidas que chegam, a estudante Ana Maria dos Santos, que atende aos contribuintes no projeto, cita as mais comuns. “O pessoal pergunta muito se precisa declarar tudo e quais documentos precisa apresentar”, explica.

A Infonet também dispõe de um espaço para esses contribuinte que não sabem o quê nem como declarar. Aqui o contribuinte poderá ter acesso aos programas, dicas e dúvidas dos internautas. Confira.

 

Por Gabriela Amorim

Comentários