CREA se surpreende com risco do Hotel Palace

0
Equipe do CREA: detalhes na avaliação (Fotos: Portal Infonet)

O Conselheiro Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) está vistoriando o prédio, que por longo anos funcionou o Palace Hotel, na praça General Valadão, em Aracaju. O prédio foi edificado em 1962, foi interditado no ano de 1985 e, desde então, está lacrado, conforme observações da equipe do CREA. A inspeção predial é fruto de um procedimento que tramita no Ministério Público Estadual, envolvendo vários órgãos públicos e também a iniciativa privada. O resultado desta inspeção norteará o destino daquele bem: se pela recuperação ou demolição, conforme expectativa do presidente do CREA, Arício Rezende.

O laudo deve ser concluído nos próximos 60 dias. No entanto, pela aparência já se conclui, conforme observações do presidente do CREA, que a edificação não tem a menor condição de funcionamento. Em menos de uma hora de observação, a equipe do CREA já identificou infiltrações, corrosão, vergalhões aparentes e uma estrutura deteriorada, que está colocando em risco a população que circula na região central de Aracaju, na avaliação dos engenheiros.

“Não tinha conhecimento da dimensão da situação. Percebemos que do lado externo já se pode ter noção, mas quando entramos vimos que aqui não há a menor condição”, destacou Arício Rezende. Esta visita, conforme frisou o presidente do CREA, não será suficiente para concluir o trabalho. Outras inspeções deverão ocorrer para a conclusão do laudo. “A situação é caótica, os elevadores foram retirados, a bateria de elevadores está irrecuperável, não existe instalações elétricas nem hidráulicas e há tempo que o CREA alerta para o perigo que o Hotel Palace oferece à população”, enalteceu Rezende.

Complexidade

Vergalhões: corrosão

A questão é bastante complexa, segundo avaliações da assessoria de imprensa da Secretaria de Estado do Turismo. A Empresa Sergipana de Turismo (Emsetur) é proprietária de uma parte do edifício e há também partes de propriedade da União e da iniciativa privada, segundo a assessoria da Secretaria de Estado de Turismo.

O destino da edificação, segundo a Secretaria de Estado de Turismo, dependerá dos encaminhamentos que serão propostos pelo Ministério Público Estadual, que reuniu todos os órgãos envolvidos em reunião ocorrida na terça-feira, 11. De acordo com a assessoria da Secretaria de Turismo, além de passar pela análise do CREA, a edificação também será vistoriada pelo Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e pela própria União, que detém a propriedade dos apartamentos instalados no terceiro andar onde funcionava a área de restaurantes.

O Governo do Estado sinalizou entendimentos para transformar o prédio em um Hotel Escola, proposto pelo sistema Senac. Mas a parceria tornou-se inviável devido à propriedade, que envolve outros segmentos, segundo informações da assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Turismo que, enquanto parte interessada, está aguardando os desdobramentos dos procedimentos que tramitam no Ministério Público Estadual.

Detalhes na parte interna

O Portal Infonet tentou ouvir o MPE sobre esta questão, mas não obteve êxito. A instituição funciona apenas no turno da manhã e o promotor envolvido na questão, Eduardo Matos, não foi localizado. O Portal Infonet permanece à disposição do MPE. Informações podem ser enviadas por e-mail jornalismo@infonet.com.br ou por telefone (79) 2106 – 8000.

Por Cássia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais