Cresce o número de empresas constituídas em Sergipe

0

O número de empresas constituídas em Sergipe entre os anos de 2006 e 2008 aumentou consideravelmente. Dados da Junta Comercial do Estado de Sergipe (Jucese) – órgão vinculado à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec) – apontam que no ano de 2006 foram constituídas 3.138 empresas em todo o Estado, passando para 3.762 em 2007.

Já em 2008, o número subiu para 4.127 novos empreendimentos, quase mil a mais em comparação a 2006. Além das novas empresas, as já em funcionamento solicitaram à Jucese alterações. Em 2006 foram 4.528; 5.371 em 2007 e 5.400 em 2008. Essas alterações referem-se a casos como aberturas de filiais, aumento de capital ou mesmo troca de endereço ou de sócio.

Para o presidente da Jucese, Lauro Vasconcelos, esse aumento no número de empresas criadas se deve ao crescimento econômico observado em Sergipe no período. “O salto na economia sergipana, registrado especialmente em 2007 e 2008, provocou o aumento de investimentos e a conseqüente criação de empresas pelo Estado. Além disso, com a implantação da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas, a carga tributária foi reduzida e as facilidades aumentaram para a abertura dessas empresas”, informa.

Ainda de acordo com Lauro Vasconcelos, outro fator que contribuiu para o aumento desses números foi a modernização dos serviços da Junta. “Muitas pessoas que estavam na informalidade e se afastavam da burocracia oficializaram suas empresas com mais facilidade. Algumas coisas já podem ser resolvidas inclusive via internet”, conta.

O primeiro passo para a abertura de uma empresa é ir à Junta Comercial para fazer o contrato social. Em seguida, o interessado procura órgãos com a Receita Federal, Secretaria Municipal de Finanças e até mesmo Corpo de Bombeiros, a depender do tipo de empresa.

Em breve será entregue à população sergipana a Central Fácil de Atendimento Empresarial, que concentrará todos os órgãos e entidades responsáveis pela constituição de empresas. Desta forma, não será preciso se deslocar até outras instituições para formalizar a criação do empreendimento.

Fonte: Site Jucese

Comentários