Crise e demandas de mercado abrem espaço para startups

0
Aplicativo Filazero mostra agendamento de atendimento (Foto: Portal Infonet)

Mesmo diante um cenário desafiador, de crise e restrições financeiras, Jadson Cruz há cerca de dois anos decidiu desenvolver uma plataforma online que pudesse reduzir o tempo de espera nas filas dos mais diversos tipos. A proposta inovadora, após inúmeras fases de testes, foi jogada no mercado somente um ano depois, com o nome ‘Filazero’. “Nós passamos por muitos processos porque não entendíamos bem a etapa do mercado. Nosso segredo foi a resiliência. Superamos essa fase e tivemos calma para aguardar os resultados”, explica, lembrando que somente hoje vem colhendo os frutos do negócio. Segundo Jadson, o mercado das chamadas ‘startups’ – empresas jovens com ideias inovadoras – requer uma paciência para ver a maturação do produto.

Ao poucos expandindo sua clientela – incluindo uma grande empresa de serviços médicos – Jadson mostra a nossa reportagem que a partir de um aplicativo para smartphones que integra o sistema do ‘Filazero’, é possível usuários agendarem consultas e acompanhar o horário exato para o seu atendimento. “Basicamente a pessoa não perde nem 10 minutos na fila. O aplicativo mostra o horário a partir de uma gestão de controle do atendimento dentro da empresa e permite o usuário planejar melhor o seu dia”, detalha.

Lara lembra que época de crise é bom momento para ousar no mercado

Mas nem sempre os resultados aparecem. Pelo menos é o que a lógica do mercado mostra. A gestora do Projeto de Startups do Sebrae-SE conta que uma das fases mais difíceis para quem se joga nesse tipo de projeto é a própria concepção do produto. “As vezes nós temos uma boa ideia, mas não sabemos se o mercado vai aceitar. Um exemplo  é que você passa um tempo construindo sua plataforma, e quando vai lançar no mercado, já tem algo similar. Você concluir sobre a aceitação do produto é um dos pontos principais para quem explora esse ramo”, explica Lara Andrade.

Na manhã desta terça-feira, 5, o Sebrae intermediou uma espécie de entrevista com representares de empresas e diversos desenvolvedores de startups num hotel na avenida Mario Jorge, zona Sul de Aracaju. Como parte do I Seminário de Desafios do Ecossistema Empreendedor, o intuito dessa atividade era a apresentação dos produtos inovadores para as empresas sergipanas e até a possibilidade de venda. “Nós temos muitas boas ideias aqui dentro [estado]. As vezes as soluções para os problemas destas empresas estão nas startups, mas os empresários desconhecem”, avalia Lara. A gestora lembra ainda que a crise financeira é um bom momento para ousar nos projetos inovadores. “É aproveitar o momento, saber a necessidade do mercado e explorar”, pontua.

Jadson mostra o fruto da sua ideia: reduzir os tempos nas filas

Desenvolvedores de startups apresentams seus projetos para empresários sergipanos

O caso do ‘Filazero’ é um exemplo claro em que um sistema atende às necessidades do mercado e da sociedade. Em uma rotina cada vez mais corrida, em pleno século XXI ninguém quer perder tempo nas filas de espera. Para quem ousa e investe, a chave do sucesso está diretamente ligada às oportunidades, e também a persistência. “É com uma semente. A gente planta, espera se desenvolver e o tempo certo para colher o frutos. Nunca pular etapas”, afirma Jadson, testemunha de todo esse processo.

Por Ícaro Novaes

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais