Dioro promete pagar dívida com fornecedores em 60 dias

0

Coletiva no auditório da CDL (Fotos: Portal Infonet)

“Eu tenho muito patrimônio e para mim, mexer em um ou dois para pagar uma dívida de R$ 1 milhão e 800 mil aos fornecedores não faz muita diferença, além do que já estou contraindo um empréstimo”. A afirmação foi feita pelo empresário Edison Santos, durante café da manhã no auditório da Câmara de Dirigentes Logistas (CDL) na manhã desta quarta-feira, 1º, quando do anúncio do fechamento do Dioro Santa Luzia Resort & Convention, antigo Starfish na Barra dos Coqueiros, para a reforma até novembro de 2011.

Na ocasião, o proprietário do Resort, informou que ao longo dos anos [o resort foi aberto como Hotel da Ilha em 2007, passou para a bandeira internacional Interclubes como Starfish  e atualmente funciona com a marca Dioro], o prejuízo chegou a R$ 11 milhões 937 mil e a dívida chegou a R$ 4 milhões. “O prejuízo acumulado já foi sanado e a dívida de R$ 1 milhão e 800 mil junto aos fornecedores, estarei sanando em um prazo de 60 quando estarei buscando soluções”, explica Edison da Projel como é conhecido em Sergipe acrescentando existir um déficit mensal de R$ 330 mil.

Empresário Edison Santos

De acordo com o empresário, diferente de outros estados da região Nordeste, Sergipe não oferece boas praias e os turistas ainda contam com as dificuldades nos vôos que chegam e saem do Aeroporto de Aracaju. Indagado pela reportagem do Portal Infonet porque pensa em continuar com o empreendimento já que Sergipe não possui atrativos como afirmou, Edison dos Santos foi enfático:

“As nossas praias são sujas, os vôos chegam em plena madrugada e o turista tem que sair do Aeroporto de Aracaju e percorrer cerca de 80 km quilômetros até chegar ao Dioro. O turista quer conforto, quer infraestrutura. Mas, eu acredito no sucesso do empreendimento e na política de turismo do Governo do Estado. Antes tinha apenas a Empresa Sergipana de Turismo e agora o Governo acena com investimentos no setor por meio da criação da Secretaria de Estado do Turismo, apesar de o Governo não fazer investimentos financeiros em empreendimentos desse tipo. A parte dele é vender Sergipe, é investir em infraestrutura”, entende.

Funcionários

Dioro está localizado na Ilha de Santa Luzia

O Dioro possui 210 colaboradores, que deverão ser ressarcidos de acordo com a legislação trabalhista. “Claro que quando o resort for reaberto em novembro, eles serão chamados, mas tenho certeza que até lá muitos deles já deverão estar trabalhando em outros hotéis por conta da qualificação. Entendo ser um grande mal estar, reunir 210 trabalhadores para anunciar que o resort está fechando as portas para entrar em reforma. Não posso ficar com eles durante o período, pois é a mesma coisa de um de vocês iniciar uma reforma geral nas suas residências e manter os empregados durante os trabalhos. Não tem como”, acredita.

Ainda mostrando-se confiante na reabertura e em uma ocupação cada vez maior no empreendimento, o empresário contou ter sido pioneiro no ramo de resort do porte do Dioro. “Sou o primeiro a fazer um resort como este do país. O Dioro foi feito em uma área de 100 mil metros quadrados, sendo 55 mil metros de área construída”, afirma.

Reforma

Resort foi construído em uma área de 100 mil metros quadrados

Reafirmando tudo que o Portal Infonet informou em primeira mão na tarde desta terça-feira, 31 quanto aos motivos expostos aos fornecedores e colaboradores por meio de um comunicado, Edison dos Santos garantiu que a partir de primeiro de junho de 2011 estará, temporariamente, deixando de operar o Dioro Santa Luzia Resort & Convention, por questões técnicas, melhorias e reformas.

“Isso após ter constatado sérios problemas em sua sub-estação além de se adequar às normas exigidas pela FIFA por conta da realização da Copa do Mundo de Futebol em 2014. O Dioro em parceria com o Governo de Sergipe está se preparando para apresentar ao Comitê Organizador da Copa do Mundo, condições que venham a atender as normas exigidas, uma vez que Sergipe é um potencial candidato a oferecer um Centro de Treinamento de Seleções em nosso estado”, explica.

Preocupação

Durante a coletiva, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Hotelaria em Terra e Mar, Restaurantes e Similares de Aracaju (Sindhote), William Roberto Cardoso Arditti distribuiu por meio de sua assessoria, uma carta demonstrando preocupação com o fechamento do Dioro.

“É lamentável que o turismo sergipano represente menos de 1% do PIB do nosso estado, o setor que mais gera emprego no  mundo é exatamente o setor de serviços e o hotel. Enquanto cidades como Fortaleza, Recife, Salvador e Maceió tem ocupação média de 79%, o resort de Sergipe encerra suas atividades com média de 28% de ocupação, desempregando 210 pais de família, fora os empregos indiretos”, diz.

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais