Eletricitários farão ato para definir paralisações

0
(Foto: Arquivo Portal Infonet)

Depois de 52 dias da entrega da pauta de reivindicações e a falta de consenso junto a Empresa distribuidora de energia elétrica de Sergipe (Energisa), os eletricitários realizarão ato público nesta quinta-feira,19, a partir das 7h, em frente à empresa. O ato deverá reunir 400 trabalhadores da capital e interior do Estado que também participarão da assembleia que deverá deflagrar a paralisação das atividades por setores.

A proposta apresentada pela diretoria da Energisa foi considerada pela categoria como indecente. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) é de 10,33%. A categoria reivindica reajuste salarial de 13,33% e a empresa coloca que o previsto corresponde a 5,5%.  Além disso, conforme o presidente do Sindicato dos Eletricitários do Estado de Sergipe (Sinergia), Sérgio Alves, a empresa não garantiu as cláusulas já existentes; negou todas as cláusulas novas, a exemplo da periculosidade para motociclistas; auxílio refeição e revisão no plano de cargos, carreira e remuneração.

Alves disse que a diretoria da Energisa insiste em afirmar que é um ano de crise e que, por esta razão, não pretende contratar cláusulas. O Sinergia discorda dessa avaliação, com base nos estudos do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) que demonstram que as distribuidoras de energia elétrica, a exemplo da Energisa, estão obtendo lucros. “Os estudos indicam um percentual em mais de 20% de lucro somente este ano. Isso vem ocorrendo porque os consumidores estão pagando valores exorbitantes em suas faturas, justamente para que a empresa não reduza os seus lucros”, comentou.

Após três rodadas de negociações e a falta da manutenção do acordo coletivo de trabalho, os eletricitários estão desempenhando as suas atividades em clima de tensão. O sindicalista afirmou que a empresa está usando uma estratégia para frustrar a categoria e causar um desgaste desnecessário. Ele alegou que o Sinergia combate a prática de assédio moral dentro da empresa. “Alguns gestores estão coagindo trabalhadores com ameaças de demissões e determinando metas impossíveis de serem cumpridas, colocando em risco a vida de vários profissionais”, esclareceu.

Manifestação

Cerca de 400 eletricitários que desempenham suas funções na capital e interior devem participar do ato público nesta quinta-feira. A partir das 7h, horário em que inicia-se o expediente na Energisa, os trabalhadores se postarão à porta da empresa, sediada na rua Ministro Apolônio Sales, 81 – Loteamento Rio Poxim, bairro Inácio Barbosa (próximo ao Espaço Emes. Participam também do ato público representantes do Dieese, Advocacia Operária e da Central Única dos Trabalhadores (Cut).

O dia será de mobilização como preparatório para a assembleia que acontecerá às 19h na sede do Sindicato, localizado na Rua I, nº 209, Loteamento Rio Poxim, bairro Inácio Barbosa. “Considerando o clima e as manifestações da categoria, vamos inicialmente paralisar as atividades em alguns setores e, posteriormente, faremos uma nova avaliação.

Fonte: Ascom Sinergia

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais