Empreendedores e agricultores recebem prêmio do BNB

0
Uma artesã, um comerciante, uma produtora de queijos e quatro produtores rurais, de seis municípios, foram homenageados no evento (Foto: Sidney Araújo)

O Banco do Nordeste realizou nesta quarta-feira, 28, a solenidade de entrega do XIII Prêmio Banco do Nordeste de Microcrédito e do V Prêmio BNB de Agricultura Familiar. O evento foi realizado no auditório da Superintendência Estadual de Sergipe, em Aracaju.

Quatro produtores rurais e três empreendedores urbanos foram premiados. Eles são clientes beneficiados pelos programas de microcrédito Agroamigo e Crediamigo e pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

“Realizar esse evento, para nós, é motivo de muita alegria. O evento reconheceu iniciativas de sucesso, que se destacam em seus municípios e que vão servir de inspiração para outras pessoas que trabalham na cidade e no campo”, disse o superintendente estadual do BNB, César Santana.

Premiados rurais

O produtor rural Severino Costa, do município de Neópolis, recebeu o Prêmio BNB de Agricultura Familiar. Há mais de 10 anos, ele atua na criação de animais e na produção de alimentos como mamão, feijão de corda e amendoim. Boa parte da produção é destinada à merenda escolar de cinco municípios.

“Fico muito feliz de receber um prêmio como esse e quero agradecer a toda a equipe do Banco. Depois que eu consegui pegar financiamento do Pronaf, as coisas melhoraram. Investi no meu propósito, estou com a produção boa e consegui crescer”, contou Severino.

“É muito gratificante saber que os agricultores estão dando resposta ao programa do Pronaf, que é viabilizado pelo Banco aqui em Sergipe. E por causa dessa relação, construímos uma profunda amizade entre as instituições”, disse o chefe do setor de Desenvolvimento do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Domingos Sávio de Oliveira.

Os produtores Dorgival de Jesus, do povoado Tapera, em São Domingos; Josefina dos Santos, do povoado Tiririca, no município baiano de Coronel João Sá (jurisdição da agência do BNB em Carira); e Claudevan da Hora, do povoado Mussuípe, em Neópolis, venceram o Prêmio Banco do Nordeste de Microcrédito, no segmento rural.

Criador de alevinos e produtor de hortaliças, Claudevan começou com o financiamento de uma caixa para guardar sobras da venda de peixes. Ao ampliar o galpão de processamento dos pescados, elevou a renda em mais de 50% e adquiriu um carro exclusivo para a atividade, uma moto e um pequeno tanque oxigenado. Optou por alimentar os peixes com sobras das hortaliças e com minhocas, utilizadas no processo de melhoria da terra.

“Apesar da crise que estamos vivendo, o BNB é quem dá sustentabilidade ao povo nordestino para sobreviver na feira e continuar negociando para movimentar a cadeia produtiva. O povo nordestino tem sonhos e conseguir realizá-los é fantástico.  Minha vida mudou completamente e só tenho que agradecer”, afirmou Claudevan.

O superintendente estadual do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Haroldo Álvaro Araújo, destacou o valor simbólico da premiação para quem se esforça para inovar e empreender. “Eventos como esse valorizam a iniciativa empreendedora e também o agricultor rural e, além de ser um momento de reconhecimento, é um prêmio que incentiva outras pessoas e outras histórias”, disse.

Premiados urbanos

A artesã Maria Reginalda de Oliveira, de Tomar do Geru; a produtora de queijos artesanais Bernadete de Almeida, de Campo do Brito; e a comerciante Marinalva dos Santos, do povoado Oiteiro, em Gararu, receberam o Prêmio Banco do Nordeste de Microcrédito, no segmento urbano.

Segundo a presidente da Fundat, Edvaneide Souza, as propostas do microcrédito e da fundação são semelhantes. “Nossa missão é capacitar e encaminhar as pessoas para mercado de trabalho e para o empreendedorismo. Participar então, com o Banco do Nordeste, na escolha dos vencedores e na premiação é fundamental para nós porque faz justamente a ponte necessária para concluir nossos objetivos”, explicou.

No início, Marinalva vendia balas de leite para completar a renda. Há 18 anos, quando ainda morava numa casa de taipa, ela entrou no Crediamigo. Hoje tem casa, apartamento, carro e realizou o sonho de abrir uma loja de roupas, cosméticos e variedades.

“Comecei muito de baixo, quase do zero, e quando o Crediamigo chegou a Gararu, fiquei convencida pelo projeto e ingressei. Foi com a ajuda do Banco que consegui chegar onde cheguei e enquanto eu estiver viva, vou continuar no Crediamigo porque ele mudou a minha história e a história da minha família também”, declarou Marinalva.

“Como representante do comércio, sinto o Prêmio como grande mola propulsora. Venho percebendo que é um crédito focado e pulverizado. O comércio de Sergipe ganha e a equipe do BNB está de parabéns”, afirmou o diretor presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Aracaju (CDL) e do Sergipe Parque Tecnológico (SergipeTec), Brenno Barreto.

Fonte: BNB

Comentários