Emprego com carteira assinada cresce em Sergipe

0

Nos últimos doze meses, o emprego com carteira assinada cresceu 9,25% (Foto: Portal infonet)
Conseguir um emprego e se tornar independente financeiramente são uma das prioridades de muitos trabalhadores. Há alguns anos é verdade que a renda dos brasileiros tem crescido consideravelmente, e o número de pessoas empregadas foi o fator responsável por impulsionar as vendas e a compra por parte dos consumidores.

Segundo levantamento do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) em janeiro de 2011 foram admitidos 9.289 trabalhadores e desligados 7.559, gerando um saldo positivo no emprego formal em Sergipe de 1.730 postos de trabalho. Nos últimos doze meses o emprego com carteira assinada teve um crescimento de 9,25% em termos relativos e 22.178 novos vínculos (em termos absolutos).

O setor da construção civil teve o maior saldo de empregos com 748 (Foto: Portal infonet)
Em Sergipe, os setores que tiveram os maiores saldos no mês de janeiro de 2011 foram a Construção Civil (748 empregos ou +2,49%), Indústria de Transformação (372 empregos ou +0,87%), e o Comércio (201 empregos ou +0,38%).

Ainda segundo dados, o saldo do emprego em Aracaju foi positivo, com um aumento de +0,46%, percentual que representou a geração de 694 novos postos de trabalho formais. Em doze meses o emprego com carteira assinada teve um crescimento de (+6.90% em termos relativos), e 9.730 novos vínculos (em termos absolutos).

Contratação

Leopoldo dos Santos conseguiu a carteira assinada
Com a carteira assinada e o emprego garantido em uma banda de forró, o técnico em sonorização Leopoldo dos Santos garante que as vantagens de se ter a carteira assinada é a melhor possível. “A segurança que o empregado tem é muito boa, sem contar que nós viajamos muito e corremos riscos. Com a garantia prevista por lei como o fundo de garantia, férias e o 13º salário, a carteira protege o empregado do que possa vir a acontecer no dia a dia do trabalho”, diz o técnico.

Ainda de acordo com ele, os direitos trabalhistas que passam a valer a partir da assinatura da carteira são fundamentais para o trabalhador. “Sem esse direito que é nosso, a gente passa por certo constrangimento, pois o patrão mostra com essa atitude que não respeita os direitos do funcionário. Sem contar que o empregado sai da empresa sem direito a nada”, ressalta, ao acrescentar que o trabalhador deve exigir que os direitos adquiridos sejam respeitados.

Correr atrás

‘Nada cai do céu’ e tudo é conquistado na base do esforço. Essas são algumas das dicas passadas pelo trabalhador Leopoldo dos Santos. “Nunca desisti do objetivo, correr atrás sempre dos ideais e ter muita paciência para se alcançar o ideal, pois as oportunidades vão aparecer, mas é preciso que se esteja preparado para ela”, ressalta.

Aperfeiçoamento é a palavra chave descrita pelo jovem Rafael Augusto, de 21 anos, que foi empregado há menos de um mês em uma concessionária de veículos da Capital. “O trabalhador sempre deve pensar no crescimento profissional, buscar fazer novos cursos, se atualizar sempre e focar na área que queira trabalhar”, garante o empregado.

Por Aisla Vasconcelos e Raquel Almeida

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais