Esquenta clima na Federação do Comércio

0

Ainda não está de todo superada a crise pela qual passou a Federação do Comércio de Sergipe, com uma tentativa de “golpe de Estado” que redundou fracassada, por causa do apoio que o atual presidente, Abel Gomes da Rocha Filho, obteve dos demais membros da diretoria. Mas, por lá a coisa ferveu – e sobraram até ameaças para o próprio presidente, Abel. Tudo começa com a morte do comerciante Marcelo Oliveira, deixando vaga a vice-presidência da entidade. O sr. Marcos Andrade, que era (será que ainda é?) Secretário da Federação convidou o sr. Gilson Figueiredo para ocupar aquele posto.

Mas, aí, sobreveio a renúncia de um dos cargos da diretoria do sr. Hugo França, ex-presidente da Fecomércio. O sr. França renunciou por questões de saúde dele e de pessoa da família. Com estas duas vagas em aperto, o sr. Marcos Andrade começou a pressionar para que todos os demais membros da diretoria renunciassem para que fosse possível realizar uma nova eleição – com ele, Marcos Andrade, naturalmente, ocupando o posto principal, o de Presidente. Ele conseguiu o apoio de outro integrante da diretoria – Alex Cavalcante Garcez – e ambos renunciaram. Pressionaram a Abel a também fazer o mesmo. Mas, o caminho não era por aí.

Esclarecimento
A Confederação Nacional do Comércio enviou um representante a Aracaju, o advogado Guilherme Paes Barreto Brandão, para orientar os dirigentes da Fecomércio como proceder neste caso. Logo de saída ele alertou que, mesmo que toda a diretoria renunciasse, mas ficasse um remanescente sem renunciar, não haveria uma eleição suplementar. Neste caso, a eleição se daria através a convocação do Conselho Diretor da Federação.

Na quinta-feira à tarde, os que não apoiavam o “golpe”, tiveram um encontro na hora do almoço no Restaurante La Tavola e ali formalizaram apoio irredutível ao Presidente Abel Gomes da Rocha Filho e formaram a nova diretoria, tendo Juliano Cesar como Tesoureiro, Fernando Barreto, como Secretário e Fernando Silva como 1º Vice-Presidente. A eleição se dará num prazo máximo de dez dias – ou seja, deve ser ou finalzinho desta semana ou no começo da próxima semana. Deve-se ressaltar que alguns membros suplentes da diretoria, ligados ao sr. Marcos Andrade, também renunciaram. Eram todos ligados ao setor farmacêutico. Outros suplentes emprestaram seu apoio também a Abel, na reunião do La Tavola.

O Presidente Abel Gomes da Rocha Filho aceitou a renuncia tanto de Alex Cavalcante Garcez como de Marcos Andrade. Ou seja, o feitiço virou contra o feiticeiro: o sr. Marcos Andrade agora fica de fora da Federação do Comércio. Quando foi presidente da Junta Comercial, o sr. Marcos Andrade também saiu de lá através do expediente da renuncia, depois de desafiar a autoridade do Secretário de Desenvolvimento Econômico de então.

Por Ivan Valença

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais