Estado acumula débitos com aluguéis e responde a ação de cobrança

0
Centro Administrativo de Saúde: débitos acumulados (Foto: Arquivo Infonet)

O Governo do Estado acumula débitos com aluguéis de imóveis, assume a dívida, promete quitar, mas sofre ação de cobrança já ajuizada por um dos empresários, proprietário do imóvel onde funciona o Instituto de Identificação no bairro Getúlio Vargas, em Aracaju. De acordo com informações do próprio Governo, estão acumuladas 11 parcelas do aluguel, em valor mensal de R$ 56 mil, apenas para manter o Instituto de Identificação.

Esta dívida já está sendo cobrada judicialmente. O proprietário, que prefere o anonimato, conversou com a equipe do Portal Infonet, confirmou o ajuizamento da ação, mas preferiu não fornecer detalhes. Diz que está aguardando os desdobramentos da cobrança judicial.

Outros atrasos

Esta não é a única dívida do Governo com aluguéis. Há também o acúmulo de parcelas com o aluguel do prédio onde funciona a sede da Secretaria de Estado da Saúde, o Centro Administrativo de Saúde Gilvan Rocha, no bairro Ponto Novo. Por este aluguel, são repassados mensalmente R$ 150 mil ao proprietário do imóvel.

O Governo também reconhece esta dívida, mas não divulgou o valor do débito acumulado. Este aluguel, constituído na gestão do ex-secretário da saúde, Almeida Lima, é alvo de auditoria especial instaurada no Tribunal de Contas do Estado (TCE). O secretário de Estado Sales Neto, de Comunicação Social, informou que o Governo enfrenta dificuldades financeiras, tem outras prioridades, mas garante que está adotando medidas de contenção de despesas para honrar todos os compromissos.

Segundo Sales Neto, o Governo reduzirá as despesas com aluguéis, priorizando o uso das unidades próprias. Parte da estrutura do Instituto de Identificação, conforme Sales Neto, será transferida para o prédio onde funcionou a sede da Secretaria de Estado da Saúde, na Praça General Valadão, e tentará negociar a redução do valor do aluguel do imóvel, onde funciona o Centro Administrativo de Saúde Gilvan Rocha, no bairro Ponto Novo. O secretário destaca que o Governo investiu cerca de R$ 10 milhões para fazer as adequações necessárias para o funcionamento da parte administrativa da Saúde naquelas instalações.

Por Cássia Santana

Comentários