Fecomércio diz não a uma junta provisória

0

Por 5 votos a 3 terminou sendo arquivada a proposta de alguns ex-integrantes da Federação do Comércio do Estado de Sergipe (Fecomércio) de derrubar a atual diretoria, à frente o sr. Abel Gomes da Rocha Filho, e impor uma Junta Governativa provisória. A reunião convocada para as 16h de ontem, 2ª, na verdade começou depois das 17h.

O enviado especial da Confederação Nacional do Comércio chamou a atenção que, pelos estatutos da entidade, aquela era uma iniciativa  que não estava baseada em trâmites legais. Mesmo assim, a Assembléia decidiu pôr em votação o pleito de formar uma Junta Governativa provisória para substituir a atual diretoria e preparar terreno para uma próxima eleição. Não deu certo. A proposta foi derrotada por cinco votos (votaram contra a proposta os srs. Fernando Silva, Abel Rocha, Quintino, Hugo França e Juliano César) a 3 (Gilson Figueiredo, Alex Garcez e Marcos Andrade, o incentivador de todo este processo desestabilizador da Fecomércio). 

Marcos Andrade deixou a reunião criticando alguns traidores (os srs. Hugo França e Quintino foram favoráveis à convocação da Assembléia Extraordinária) e anunciando que irá procurar “outros meios legais”. Que meios seriam esses? Não revelou.

Por Ivan Valença

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais