FITEC é a vitrine dos produtos sergipanos

0

Jorge Santana (Arquivo : Portal Infonet)
Em entrevista ao Portal Infonet, o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico e da Ciência, Jorge Santana, antecipa um pouco dos temas da palestra que ministrará no dia 30, na Feira da Indústria e Inovação Tecnológica (FITEC). Ele comenta ainda sobre a importância do evento e explica a razão da crise mundial pouco atinge as indústrias sergipanas.

 

Portal Infonet- Qual a importância da Feira da Indústria e Inovação Tecnológica (FITEC) nesta atual conjuntura para o estado de Sergipe?
Jorge Santana-
A Feira da Indústria e Inovação Tecnológica de Sergipe é a grande vitrine que vai tornar os produtos fabricados em nosso Estado conhecidos dos consumidores sergipanos, além de proporcionar o intercâmbio de negócios entre os expositores e de aproximar a indústria das instituições de ciência e tecnologia. Por estas razões, o governo do Estado decidiu apoiar e participar do evento, ciente de que a FITEC irá contribuir para o fortalecimento e a elevação da competitividade da indústria sergipana.

Infonet – O Governo do Estado através da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico e da Ciência  é o maior patrocinador do evento. O que esperam de retorno da FITEC?
JS –
Nossa expectativa é de contribuir para que as indústrias sergipanas conquistem novos consumidores, realizem mais negócios entre si e que encontrem nas instituições de ciência e tecnologia parceiros para atenderem suas demandas por inovação tecnológica.

Infonet – No evento o senhor lançará o Fórum de Competitividade. Pode nos explicar o que será este fórum e falar um pouco do programa de qualificação de fornecedores (PQF)?

JS- O Fórum de Competitividade é um instrumento em favor do adensamento e da consolidação das mais importantes cadeias produtivas de Sergipe. O Fórum irá reunir o governo, as entidades empresariais e diversas outras instituições e organizações que tenham interesse na temática da indústria, como o sistema financeiro e as instituições de ciência e tecnologia. Dentro do Fórum, serão criados Grupos de Trabalho, um para cada cadeia produtiva, que serão responsáveis pelo diagnóstico do segmento e pela elaboração e execução de um plano de trabalho capaz de responder às suas principais demandas. Já o PQF é um programa que estamos lançando em parceria com o IEL e o Sebrae, cujo objetivo é ampliar o mercado das micro e pequenas indústrias sergipanas, fazendo com que seus produtos sejam adquiridos pelos grandes compradores (supermercados, grandes empresas e governo).

 

Infonet – Além de unificar e ampliar o espaço para negociações o evento também está divulgando as indústrias nos meios de comunicação. O senhor acredita que o conhecimento da população dos produtos que são fabricados no Estado pode ajudar na escolha final do consumidor?

JS- Sem dúvidas. Esse é um dos principais objetivos da feira: estimular o consumidor sergipano a usar o seu poder de compra em favor do crescimento da indústria local.

 

Infonet- A crise mundial tem afetado a economia de Sergipe? O senhor já possui números a respeito deste assunto? Quais as ações do governo para que a crise não cause grandes danos local?

JS – Felizmente o perfil da economia sergipana, pouco dependente de exportações para o exterior, tem feito com que a crise atinja nossa indústria com menor intensidade. Salvo o segmento de produção de sucos concentrados de laranja, que sofreu forte impacto decorrente da drástica redução da demanda no mercado internacional, o restante da indústria tem sofrido menos os efeitos da crise.

Infonet- Quais são as ações do governo para expandir a economia sergipana e ampliar o número de indústrias em Sergipe?

JS- O governo concede um amplo conjunto de incentivos às indústrias, com destaque para o apoio fiscal e o apoio locacional. Isso significa que novas unidades industriais contam com expressiva redução do ICMS devido e podem adquirir áreas em distritos industriais dotados de infra-estrutura adequada a preço subsidiado. Há outros fatores de atração do investimento privado que são importantes para que o investidor opte por Sergipe, destacando-se a qualidade da nossa mão de obra, a postura ética na relação com o governo do Estado e os indicadores sociais de Sergipe.

 

Infonet- Até que ponto dar isenção de impostos a algumas indústrias para que elas escolham Sergipe como sede é favorável ao Estado?

JS- O incentivo fiscal é um instrumento antigo e utilizado no mundo inteiro para promover o desenvolvimento de regiões pouco atrativas para o investimento privado. Em grande medida, a industrialização de Sergipe e dos demais Estados do Nordeste deveu-se à presença dos incentivos fiscais. Nos dias de hoje, cabe rediscutir seu alcance e os meios para evitar a Guerra Fiscal entre os Estados.

 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais