Fornecimento de leite está garantido até março de 2006

0

O fornecimento de leite para famílias carentes do interior do Estado, e que fazem parte do Programa Proleite, será regularizado. Na manhã de ontem, foram assinados contratos para que 29 mil famílias comprovadamente carentes de Sergipe recebam diariamente 34 mil litros de leite, nos 25 municípios beneficiados pelo Proleite.

 

O acordo foi firmado entre o governo do Estado e nove laticínios, que irão fornecer dentro do seu espaço de atuação a quantidade diária de leite, proporcionada por ato licitatório, através da Secretaria de Administração.

 

As assinaturas dos contratos foram acompanhadas pelo secretário de Estado da Agricultura, Sérgio Reis, representando o governador João Alves Filho, assessorado pelo coordenador do Proleite, Luiz Carlos Nunes, diretor de Sanidade Animal do Deagro, Fernando Albuquerque e também pelo assessor especial Mavignier França.

Sérgio Reis destacou que o Proleite é de extrema importância para muitas famílias carentes do interior do Estado. Na ocasião, o secretário lembrou que o programa possui o apoio direto do governo estadual. “Os senhores tomaram conhecimento que houve um problema técnico relacionado com esse programa”, frisou Sérgio.

Ele informou que o governo do Estado resolveu cobrir inclusive a parte que o governo federal não cumpriu nesse último mês. “Aproximadamente R$ 1,2 milhão foram retirados dos recursos do governo do Estado para que o programa não pare. Isso mostra que o governador é muito atento às questões sociais”, enfatizou o secretário.

Sérgio destacou também o significado do Proleite no aspecto da sua cadeia produtiva e atribuiu ao governador “essa visão macro de integrar os diversos segmentos, notadamente pelo estímulo que propicia também aos produtores de leite, assegurando a continuidade da criação de gado, o que garante um processo econômico”.

 

O coordenador do Proleite, Luis Carlos, fez uma explanação do programa iniciado em 2001 sob a responsabilidade do governo estadual, atendendo apenas 11 municípios. Lembrou que a partir de 2004, o governador João Alves ampliou para 25 municípios, elevando de 17 mil para 34 mil litros de leite diários.

 

PARALISAÇÃO – Luiz Carlos explicou que a paralisação da distribuição do leite foi por conta da falta de sensibilidade e agilidade da burocracia federal do Ministério do Desenvolvimento Social. “Foi preciso que o governador João Alves Filho autorizasse a Secretaria de Agricultura tomar as rédeas da situação para garantir a continuidade do programa”, disse.

O prefeito de Amparo de São Francisco, José Freire, disse que o Proleite chega a ser indispensável, pois atinge cerca de 307 famílias. “São 450 litros diários que vêm de Propriá e são fornecidos para os moradores. Leite é saúde, principalmente para quem não tem o que comer. Tem famílias nas quais o leite é a base da alimentação diária”, disse.

Comentários