Garantidas 740 toneladas de milho para o semiárido

0
Saca de 50 quilos custará R$ 30 (Foto: Arquivo Portal Infonet)

Os 14 mil pequenos criadores de Sergipe terão 740 toneladas de milho da unidade da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para alimentar o rebanho e enfrentas os efeitos da seca. O Programa Vendas em Balcão de Milho irá permitir o acesso de  agroindústrias de pequeno porte e de criadores de  aves, suínos, bovinos, caprinos e ovinos do Nordeste aos estoques públicos do produto, por meio de vendas diretas e a preços de mercado. Serão liberados estoques governamentais de cerca de 200 mil toneladas de milho para atender a região. Para Sergipe, serão liberadas 740 toneladas, com preço de R$ 30 a saca de milho de 50 quilos.

A medida foi anunciada nessa quarta-feira, 15, pelo presidente Michel Temer e atende uma reivindicação e sugestão do governador Jackson Barreto, que, em dezembro, esteve com o ministro da Agricultura , Blairo Maggi, ao lado do deputado federal, Jony Marcos e o agora superintendente do escritório em Brasília, Heleno Silva, pleiteando o grão estocado na Conab a preço subsidiário.

“Nós levantamos esse assunto em Brasília, tomamos a iniciativa. O primeiro pedido foi para que o milho fosse doado, mas, não sendo possível, houve o subsídio, que já ajuda os pequenos produtores. Reafirmo meu compromisso com os nossos produtores e agricultores, principalmente os pequenos que estão sofrendo demais com a seca. É com muito trabalho e esforço que estamos buscando todas as medidas possíveis para combater os efeitos de uma das piores secas já vividas em Sergipe. Para os nossos produtores, essa medida será de fundamental importância. Afinal, são 740 toneladas de milho para que os produtores do semiárido possam alimentar seus rebanhos e atravessar esse momento tão difícil”, declarou o governador.

Venda

Para comprar milho pelo Programa de Vendas em Balcão, é necessário fazer um registro prévio no Sistema de Cadastro Nacional de Produtores Rurais (SICAN), disponível no site da Conab. A seguir, o produtor deve comparecer a uma unidade da Conab levando copia do RG e do CPF, além de comprovantes de identificação, de endereço, de qualificação de suas atividades e de escala de produção/consumo.

No caso dos criadores de bovinos, também é necessária a apresentação de comprovante de vacinação do rebanho contra a febre aftosa. A Conab aceita documentos de outros órgãos de extensão rural ou das entidades de classe. O pagamento do produto é realizado à vista, via Guia de Recolhimento da União (GRU).

Fonte: ASN

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais