Governador reúne-se com cúpula da Petrobras

0

Encontro ocorreu na sede da empresa no Rio de Janeiro (Foto: marcos Rodrigues/ASN)
Uma reunião para tratar de assuntos de importância vital para o Estado de Sergipe relacionados à atuação da Petrobras. Essa foi a tônica da reunião mantida na tarde desta quinta-feira, 10, entre o governador Marcelo Déda e o diretor de Exploração e Produção da Petrobras, Guilherme Estrella, que está respondendo interinamente pela presidência da empresa devido ao período de férias do titular, Sérgio Gabrielli. O encontro, na sede da empresa, no Rio de Janeiro, também contou com a participação do gerente Executivo para o Norte/Nordeste, Cristóvão Sanches, e do assessor da direção, Ricardo Latché.

Inicialmente, o governador Marcelo Déda fez questionamentos relativos às recorrentes quedas na produção de petróleo verificadas em Sergipe. “Nós observamos que nos últimos três anos houve uma queda significativa na produção de petróleo no estado de Sergipe. Isso tem afetado a arrecadação, além de criar uma série de preocupações com a atividade de exploração em Sergipe”, salientou o governador, mesmo lembrando que há perspectivas positivas de futuro a partir de novas descobertas anunciadas.

Presidente falou de perspectivas para novas descobertas (Foto: marcos Rodrigues/ASN)

“Nessa queda está inclusive incluído o que tínhamos de projeção para a produção da plataforma de Piranema. Então, viemos pedir explicações sobre essa queda de produção”, detalhou o governador.

Problemas operacionais

O diretor e presidente interino da empresa, ao lado dos diretores, explicou os problemas que estão sendo verificados no aspecto operacional em Sergipe. Em relação à Piranema, os técnicos afirmaram que por se tratar de um projeto de vanguarda, com um tipo de exploração inédito para a Petrobras, estão ocorrendo questões operacionais que impedem a consecução dos resultados projetados.

Piranema enfrenta problemas para consecução de resultados projetados (Foto: Divulgação)
Segundo as explicações, a perspectiva é para que ainda em 2011, a produtividade ultrapasse os 10 mil barris/dia de petróleo, e nos próximos anos a empresa avalia que é possível retomar a meta inicial de produção de 25 a 30 mil barris/dia. Já em relação à exploração em águas rasas, sobretudo nas plataformas situadas no litoral da capital e adjacências é apontado um problema relacionado ao licenciamento ambiental.

“No mês de abril, segundo o presidente em exercício, está prevista uma audiência pública para examinar a liberação da utilização da tecnologia de recuperação de poços nos poços mais antigos, além de autorizar o início de novas explorações. Segundo Guilherme Estrella, superando-se os ‘gargalos’ ambientais, a produção não apenas retomará o seu nível, como superará recordes obtidos anteriormente pela empresa”, afirmou o governador.

Novos investimentos

A boa notícia desta visita, segundo o governador, foi informada pela diretora de Gás e Energia da Petrobras, Graça Silva Foster, que anunciou novidades relativas ao projeto de ampliação da planta da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (Fafen).

Segundo ele, a expectativa inicial apresentada pela técnica, é de que a produção inicia em 875 toneladas/ dia, com uma previsão de 303 mil toneladas por ano de sulfato de amônia. “Este é mais um produto da companhia em nosso estado, num investimento superior a US$ 100 milhões em Sergipe”, concluiu Marcelo Déda.

Com informações da Secom

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais