Governo e sindicatos analisam receita estadual do primeiro semestre

0

Uma das reuniões entre representantes da Sefaz e do Sindifisco
Na tarde da última segunda-feira, 20, o secretário de Estado da Fazenda, João Andrade, e os dirigentes do Sindicato dos Auditores Tributários do Estado de Sergipe (Sindat) e do Sindicato do Fisco do Estado de Sergipe (Sindifisco) debateram o comportamento das receitas estaduais durante o primeiro semestre deste ano. A reunião foi a primeira conforme entendimentos propostos pela Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) para estudos de viabilidade da proposta de incorporação da gratificação de produtividade.

Nas reuniões, os participantes fizeram um diagnóstico completo dos índices que compõem a receita, traçando os perfis a partir de janeiro de 2008, analisando a curva ascendente de todo o primeiro semestre do ano passado e os resultados da arrecadação a partir do segundo semestre, especialmente nos meses de novembro e dezembro de 2008 e janeiro deste ano. “Cada um dos sindicatos receberam uma cópia de todo o material com vistas ao estudo mais aprofundado e como forma de criar um arquivo importante para o acompanhamento posterior das projeções, comparando com as ações anticrise”, disse o secretário João Andrade.

Os gráficos da apresentação traduziram o comportamento de cada um dos componentes da receita, assim como um perfil geral desde janeiro deste ano, principalmente o momento em que os reflexos da crise econômica atingiram o Estado.

Com a reunião, os dirigentes sindicais tiveram uma percepção mais clara dos entendimentos que se seguiram nos últimos meses para negociar os estudos para atendimento da reivindicação da categoria. O propósito das reuniões é o de fazer um acompanhamento conjunto da evolução das receitas e programar o início dos trabalhos de construção do plano de incorporação da gratificação de produtividade. “A perspectiva atual é de que esta discussão seja iniciada em fevereiro do próximo ano. Porém, este estudo conjunto pode apontar para um momento anterior, conforme os resultados das medidas que pretendemos adotar para desacelerar o crescimento das despesas com a folha de pagamento do Estado”, explicou João Andrade.

Fonte: ASN

Comentários