Governo promove extensão tecnológica para empresas

0
Governo de Sergipe promove extensão tecnológica para empresas no Estado (Foto: divulgação)

Além do Programa de Extensão Industrial (PEIEX), Sergipe passa a contar com um projeto de extensão tecnológica, através da instalação do núcleo operacional do Sistema Brasileiro de Tecnologia (Sibratec) no Instituto Tecnológico e de Pesquisas de Sergipe (ITPS). Operado com recursos de R$ 2,3 milhões – sendo R$ 1,8 da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e os demais R$ 716,5 mil de contrapartida do Governo do Estado, o projeto atua como instrumento de articulação e aproximação da comunidade científica e tecnológica com empresas, tendo como finalidade apoiar o seu desenvolvimento tecnológico, dando condições para o aumento em sua taxa de inovação e, assim, contribuir para o aumento do valor agregado de faturamento, produtividade e competitividade nos mercados interno e externo.

O Sibratec atende aos objetivos do Plano de Ação de Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional (PACTI 2007–2010) e as prioridades da Política de Desenvolvimento Produtivo (PDP). Em Sergipe, o responsável pelo convênio é o Sergipe Parque Tecnológico (SergipeTec). Já o ITPS responde pela execução técnica em todo o Estado, tendo a UFS, IFS e ITP como outros executores, além da Sedetec e Fapitec como cofinanciadores.

O Sibratec está organizado na forma de três tipos de redes temáticas denominadas componentes: Centros de Inovação, Serviços Tecnológicos e Extensão Tecnológica. Formados por unidades ou grupos de desenvolvimento pertencentes aos institutos de pesquisa tecnológica, aos centros de pesquisa ou às universidades, com experiência na interação com empresas, os Centros de Inovação têm como objetivo gerar e transformar conhecimentos científicos e tecnológicos em produtos, processos e protótipos com viabilidade comercial para promover inovações radicais ou incrementais.

As Redes Temáticas Sibratec de Serviços Tecnológicos são formadas por laboratórios e entidades acreditadas ou que possuam sistema de gestão da qualidade laboratorial. Esse componente destina-se a apoiar a infraestrutura de serviços de calibração, de ensaios e análises e de avaliação da conformidade, nos âmbitos compulsório e voluntário, a capacitação de recursos humanos, o aprimoramento de gestão da qualidade laboratorial, programas de ensaio de proficiência, bem como as atividades de normalização e de regulamentação técnica, para atender as necessidades de acesso das empresas ao mercado.

Já as Redes Estaduais de Extensão Tecnológica congregam as entidades especializadas na extensão tecnológica atuantes na região, por meio da organização de um arranjo institucional, constituído por entidades locais de apoio técnico, gerencial e financeiro, do qual participem a Secretaria Estadual de C&T ou a entidade no Estado que tenha essa função, entidades representativas dos setores econômicos, Banco de Desenvolvimento Regional, Fundações de Amparo à Pesquisa (FAP) e Instituições de P&D.

De acordo com Sudanês Pereira, diretora do Departamento Técnico da Sedetec, o objetivo do convênio é elevar a competitividade e a inovação na economia sergipana. “Por meio do projeto iremos promover a extensão tecnológica para solucionar pequenos gargalos na gestão tecnológica, adaptação de produtos e processos, bem com a melhoria da gestão da produção das micro, pequenas e médias empresas”, explicou ao destacar que a meta em Sergipe é atender 130 empresas. “O Sibratec representa mais uma ação da Política de Desenvolvimento Industrial de Sergipe que tem como uma de suas diretrizes levar inovação para as empresas locais”, enfatizou.

O secretário da Sedetec, Saumíneo Nascimento, ressalta que esta é mais uma das ações desenvolvidas pelo Governo do Estado na promoção do desenvolvimento tecnológico do setor empresarial sergipano. “O governador em exercício Jackson Barreto, que também preside o Conselho de Desenvolvimento Industrial – CDI, tem orientado os nossos trabalhos para que as atividades de pesquisa e desenvolvimento sejam voltadas para o setor empresarial, incluindo-se ainda a inovação em produtos e processos, em continuidade às diretrizes que foram traçadas pelo governador Marcelo Déda”, informa , acrescentando que a expectativa do projeto é de que as empresas sergipanas tenham maior poder de competição nos mercados nacionais e internacionais.

Fonte: Sedetec

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais