Grupo chileno compra a rede de supermercados GBarbosa

0

Um anúncio feito na manhã de hoje, 7, põe fim às especulações sobre a venda do grupo GBarbosa. As negociações para a venda foram concluídas na noite de ontem, 6, e a partir de agora a empresa sergipana pertence ao grupo chileno Cencosud S/A, líder do mercado varejista do Chile e Argentina. O valor da compra não foi divulgado pela direção da empresa.

“Vamos investir mais ainda, vamos crescer, criar novos empregos e negócios para o Estado. Nada vai mudar, a diferença é que antes tínhamos um acionista finaneiro e agora teremos um acionista varejista”, declarou o presidente do Gbarbosa, Gerard  Scheij, em entrevista coletiva.

Presidente do Gbarbosa, Gerard  Scheij
Este é o primeiro investimento da Cencosud S/A no Brasil e a empresa sergipana será a plataforma de crescimento da rede chilena no país. Com a compra do Gbarbosa a Cencosud S/A passa a ser a quarta maior rede do ramo de supermercados varejistas no Brasil.

Scheij garantiu que não ocorrerão demissões e que a marca GBarbosa não será modificada. “Mudar a marca seria dar um tiro no próprio pé”. Atualmente a rede opera 18 hipermercados, 23 supermercados, 36 farmácias e 7 Eletroshows em Sergipe, Alagoas e Bahia.

“A presença nos Estados será fortalecida depois poderá crescer, com a abertura de novas lojas, até mesmo em outros tipos de negócios como o ramo de homecenter (lojas de construção)”, afirmou o presidente da rede.

Opinião

Apesar da direção da empresa garantir que não haverão grandes mudanças e que consumidores e empregados podem ficar tranqüilos, a notícia da venda a um grupo estrangeiro pode causar um certo desconforto em alguns clientes do Gbarbosa, que atua há mais de 50 anos do Estado.

“Quanto mais longe se está do poder de decisão menos influencia se tem sobre os negócios. Acho que a cada dia mais Sergipe perde controle sobre sua economia”, é o pensa o consumidor e jornalista Zoroastro Sant´anna. Já para a dona de casa Matilde Maria da Silva, “medo de mudança a gente sempre tem. Tenho receio de que quem está entrando não corresponda à altura”.

E você internauta, acha que ocorrerão mudanças boas ou ruins para o Estado com a aquisição do Gbarbora por uma empresa estrangeira? Participe deixando o seu comentário logo abaixo no link Comentar Matéria.

Por Carla Sousa

 

 


 

Comentários