Índice de Confiança do Empresário Industrial caiu

0
O índice atingiu 46,2 pontos, ficando abaixo dos 50 pontos (Foto: Arquivo Infonet)

A Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) divulgou a Sondagem Industrial e a Sondagem Indústria da Construção do mês de junho de 2017 (2º Trimestre de 2017). Divulgou também o resultado da análise do Índice de Confiança do Empresário Industrial do mês de julho. As pesquisas foram criadas pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), com o objetivo de conhecer tendências e expectativas dos empresários do setor industrial. Os indicadores apresentados nas pesquisas variam no intervalo de 0 a 100 pontos, sendo que valores acima de 50 pontos indicam evolução positiva ou otimismo, já os valores abaixo desta linha divisória, apontam evolução negativa ou pessimismo.

A análise do ICEI – Índice de Confiança do Empresário Industrial, do mês de julho de 2017, mostra redução da confiança dos empresários sergipanos, uma vez que o índice atingiu 46,2 pontos, ficando abaixo da linha divisória dos 50 pontos, e 1,7 ponto abaixo do registrado no mês anterior. Já o Indicador de Expectativas (para os próximos seis meses) somou 50,2 pontos, mostrando que, apesar da redução de 2,2 pontos, na comparação com o mês anterior, os empresários permanecem otimistas para os próximos seis meses. O Indicador de Condições, que reflete as condições atuais da economia, também apresentou redução, ficando em 38,4 pontos, com leve queda de 0,3 ponto, na comparação com o mês anterior.

A Sondagem Industrial de junho de 2017, aponta que indicador referente ao Volume de produção somou 35,5 pontos no mês em análise, mostrando diminuição de 13,2 pontos quando comparado ao mês anterior, permanecendo abaixo do resultado esperado pelos empresários. Os indicadores de situação financeira mostram que os empresários sergipanos permanecem insatisfeitos, destaque para o acesso ao crédito que na opinião dos empresários sergipanos não foi satisfatório, tendo em vista que o indicador diminuiu 2,6 pontos, em relação ao trimestre anterior. No segundo trimestre de 2017 os empresários apontaram a “Inadimplência dos clientes” e a “Elevada carga tributária” como os principais problemas enfrentados por eles. As expectativas de junho foram pessimistas, tendo em vista que todos os indicadores de expectativas recuaram, a exceção foi o indicador de Quantidade exportada, que se manteve na margem dos 50 pontos.

De acordo com os dados da Sondagem Indústria da Construção, o Nível de atividade foi de 42,9 pontos no mês de junho, aumentando 3,3 pontos, se comparado ao mês imediatamente anterior. Já o indicador de Número de Empregados foi de 38,1 pontos, redução de 5,8 pontos, na comparação com o mês anterior. Analisando a situação financeira do segundo trimestre de 2017, o indicador de Margem de lucro operacional ficou em 32,1 pontos, inferior em 4,5 pontos ao registrado no trimestre anterior, o que indica que empresários insatisfeitos neste quesito. Já o indicador de Situação financeira apresentou retração de 2,8 pontos, na mesma base de comparação, demostrando também que os empresários continuam insatisfeitos com a situação financeira de suas empresas. No tocante aos problemas enfrentados pelos empresários da indústria da construção, a “Elevada carga tributária” e a “Taxa de juros elevada” foram os quesitos mais citados pelos entrevistados. As expectativas, no mês de junho de 2017, foram menos otimistas, para os próximos seis meses, em comparação com o mês anterior. Todos os indicadores de expectativas recuaram, exceto o indicador de Nível de atividade, que ficou em 42,9 pontos, no mês em análise, sendo 1,4 ponto superior ao indicador do mês anterior.

Fonte: Unidade de Comunicação do Sistema FIES – Unicom/FIES

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais