Índice Geral de Preços recua em agosto

0

O Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) apurado pela Fundação Getulio Vargas, teve forte recuo em agosto. A taxa ficou em 0,38%, depois dos 2,00% em julho. De acordo com os dados divulgados nesta segunda, 18, pela FGV, foi a menor desde julho do ano passado.

A maior contribuição para a desaceleração veio do recuo nos preços por atacado. O Índice de Preços por Atacado (IPA), que tem o maior peso (60%) na composição do IGP-10, ficou em 0,25% em agosto, enquanto em julho havia sido de 2,54%. Os produtos agropecuários tiveram deflação de 1,98% em agosto, contra alta de 4,66% em julho; e os industriais registraram alta de 1,13% em agosto, ante a taxa de 1,71% de julho.

As matérias primas brutas também tiveram um forte recuo, passando para -1,87%, ante a taxa de 4,54% no mês anterior. Os preços ao consumidor, que contribuem com 30% para a formação do IGP-10, tiveram alta de 0,36% em agosto, ante 0,65% em julho. Dos sete grupos que compõem o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), três registraram queda nas taxas, com destaque para alimentação (de 1,56% para 0,13%).

Os preços que mais caíram foram das carnes bovinas (de 7,48% para 1,15%), do arroz e do feijão (de 9,42% para -0,18%) e das hortaliças e legumes (de -1,42% para -3,61%). No grupo vestuário, a taxa passou de 0,15% em julho para -0,51% em agosto; educação, leitura e recreação, passaram de 0,23% para 0,11%.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), que contribui com 10% na composição do IGP-10, variou 1,43% em agosto, também abaixo do resultado de julho, de 1,50%. Houve recuo nos grupos serviços (de 1,48% para 0,67%) e mão-de-obra (de 1,40% para 0,77%). Apenas o grupo materiais teve aumento na taxa, passando de 1,61% em julho, para 2,27% em agosto.

Criado em 1993 pela Fundação Getulio Vargas, o IGP-10 é apurado entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência. É uma das versões do Índice Geral de Preços (IGP) e registra a inflação de preços desde matérias-primas agrícolas e industriais até bens e serviços finais.

Fonte: Agência Brasil

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais