IPTU: Contribuintes denunciam transtornos

0
Contribuintes buscam esclarecimentos (Fotos: Cássia Santana/Portal Infonet)

Os contribuintes lotaram a sede da Secretaria Municipal da Fazenda para dirimir dúvidas quanto ao pagamento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) cobrado pela Prefeitura de Aracaju. Há contribuintes que encontraram divergência no valor explícito entre os boletos emitidos pelas agências dos Correios e aqueles extraídos pela Internet.

O motoboy Osvaldo Pereira exibiu os dois documentos referentes a um mesmo imóvel localizado na zona sul da capital sergipana. No boleto emitido pelos Correios, o valor cobrado foi de R$ 3.165,95. Mas no documento extraído pela Internet, o valor cobrado reduziu para R$ 2.110,63. O motoboy buscou esclarecimentos na Secretaria Municipal da Fazenda. “Queremos saber qual o valor que deve ser pago”, observou.

O secretário municipal da Fazenda, Jair Araújo, informou que, para estes casos, deve prevalecer o menor valor. Ele garante que o número é mínimo de ocorrências desta natureza. Araújo admitiu os erros ocorridos no ano passado, mas informou que neste ano todos os equívocos cometidas pela empresa contratada anteriormente foram corrigidos a partir da contratação de nova empresa para realizar aqueles serviços.

Cleberton: valores elevados

Motoboy exibe documentos com informações divergentes 

Luzenilda: perda de isenção

Outros contribuintes foram à Secretaria Municipal da Fazenda para tentar compreender os cálculos. O pescador Cleberton Santana reclamou do índice de reajuste. “Veio muito caro”, disse. No ano passado, segundo revelou, ele pagou R$ 178, mas neste ano o valor cobrado subiu para R$ 230. “Tentando baixar, ou se fica no mesmo valor ou se tem um aumento de maneira justa”, destacou.

A aposentada Luzenilde Batista, 76, quer saber o critério para a isenção. Ela informou que já foi beneficiada com a isenção do imposto, mas neste ano a prefeitura emitiu o carnê de pagamento. “A isenção não é para quem ganha até dois salários mínimos?”, interroga.

O secretário Jair Araújo admite que alguns contribuintes perderam o benefício, mas garante que todas as medidas foram adotadas de forma criteriosa, em obediência à legislação vigente.

O secretário lamenta que as pessoas deixaram para fazer as reclamações e dirimir dúvidas no última dia de prazo para pagamento da cota única e orienta o contribuinte que se sentir prejudicado a protocolar requerimento pedindo a reavaliação do reajuste.

Por Cássia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais