Irrigação Pública torna Canindé o maior produtor de quiabo e goiaba do Estado

0

Quiabo injeta R$ 5,4 milhões por ano na economia sergipana (Fotos: Ascom Cohidro)

Localizado no município de Canindé de São Francisco, no Alto Sertão sergipano, o Perímetro Irrigado Califórnia, administrado pela Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro), se tornou referência no cultivo e comercialização de quiabo e goiaba. Com auxílio da irrigação pública e da assistência técnica da companhia, os lotes familiares produzem cerca de 10.000 toneladas da hortaliça e 4.800t da fruta por ano.

As duas culturas são tão fortes na cidade que merecem até comemoração. Com entusiasmo, os moradores se mobilizam para a IV Festa do Quiabo e II Festival da Goiaba, que acontecem simultaneamente a partir dessa sexta-feira, 30.

O chefe do perímetro Califórnia, o engenheiro agrônomo José Gomes, afirma que o cultivo do quiabo está presente em cerca de 230 lotes. “A cultura do quiabo de Canindé é responsável por injetar R$5,4 milhões por ano no Estado, uma média de R$450 mil por mês. São cerca de 600 caminhões carregados todos os anos, em média 15 por semana, cada um com 15 toneladas de quiabo. Sem dúvidas, esses números fazem de Canindé o maior produtor de quiabo de Sergipe, e coloca o nosso Estado entre os maiores do Brasil”, revela Gomes.

Cerca de 300 hectares de terra são destinados ao cultivo da goiaba

Ainda segundo ele, a Bahia é a maior consumidora do quiabo de Canindé. “Salvador e Feira de Santana fazem da Bahia a maior compradora do quiabo produzido aqui. Cerca de 90% da nossa produção é destinada ao mercado baiano. É um alimento forte na culinária baiana, por conta do caruru e demais pratos típicos. Por isso, a Bahia é a nossa maior consumidora, seguida por Sergipe e, em terceiro lugar, Alagoas”, explica.

De acordo como agrônomo, existem fatores que explicam o sucesso do cultivo do quiabo no perímetro Califórnia. “O solo argiloso e o clima quente-seco são ideais para o plantio do quiabo, e a água de irrigação é de excelente qualidade. A mão-de-obra local está adaptada às exigências da cultura, assim como a assistência técnica da Cohidro, conhecedora da fisiologia vegetal da planta. Tudo isso contribui para o alto volume de produção e para a qualidade do produto final, que nos mercados é considerada a melhor”, explica o agrônomo.

José Gomes, chefe do Perímetro Califórnia

No lote ‘4-NE-15’ de Jailton Paes dos Santos, é possível constatar a adaptabilidade do quiabo à região. Há cerca de 20 anos, Jailton se dedica ao plantio da hortaliça, e destina 1 hectare de uma área total de 4,3ha ao cultivo do quiabo ‘Santa Cruz 47’, considerado o de melhor qualidade. “O quiabo é o carro-chefe da minha plantação, que também tem milho e goiaba. É ele que paga minhas despesas do dia a dia”, diz o pequeno produtor e acrescenta que toda sua produção é vendida diretamente para Salvador. “Em época de safra, consigo colher 80 sacos de quiabo por semana. O preço do saco oscila muito. Já vendi a R$40, mas também já cheguei a comercializar por R$7 o saco”, complementa Jailton.

Ainda segundo o produtor, a assistência técnica é fundamental para o sucesso do plantio. “Os técnicos da Cohidro nos passam orientações sobre a plantação, o manejo da irrigação e adubação, e nos auxiliam no controle de pragas e doenças. É um apoio importante não só para quem planta quiabo, mas para todo pequeno produtor rural. Sem falar da irrigação gratuita. O que seria de nós sem essa água?”, declara Jailton.

A goiaba

Mardoqueu Bodano comemorou a produção de quiabo e goiaba em Canindé

Se o quiabo faz sucesso na região, a goiaba não fica para trás. No perímetro Califórnia, cerca de 300ha de terras são destinados ao cultivo da fruta. Por ano, cada hectare produz, aproximadamente, 16 toneladas, culminando em uma produção anual de 4.800t de goiaba. “O goiabal de Canindé ainda é recente, mas, em três anos, essa produtividade deve de estabilizar em torno de 22t/ha/ano”, projeta José Gomes.

De acordo com o chefe do perímetro, a goiaba de Canindé é saboreada até em outros países. “Há uma grande empresa pernambucana de doces, a maior do norte-nordeste no segmento, que compra nossa goiaba para fabricar doces e exporta seus produtos para outros países. Com certeza a goiaba da Canindé faz sucesso fora do Brasil também”, revela Gomes, acrescentando que são injetados no município cerca de R$6 milhões por ano com a produção de goiaba, uma média de R$500 mil por mês.

Maria do Socorro Rodrigues dos Santos, conhecida como Dona Lia, dá o exemplo de como a goiaba é importante para o pequeno produtor da região. Há seis anos, Dona Lia tira o sustento da família das frondosas goiabeiras que enchem sua propriedade rural. “Cultivar, colher e vender goiaba passou a ser a minha única atividade. Com ela, pago minhas contas e consigo dar uma vida digna a minha filha e meu neto. Em época de colheita, contrato um trabalhador para me auxiliar. Mas durante todo o ano, eu mesma toco o goiabal”, diz a produtora.

Para Antônio Roberto Ramos, um dos técnicos agrícolas da Cohidro responsáveis pela assistência aos pequenos produtores rurais, dona Lia se destaca pela aceitação a novas tecnologias. “Ela é um tipo de produtora que sempre aceita nossas orientações, se mostra aberta ao diálogo, às novidades que trazemos para o homem do campo. É por esses e outros motivos que dona Lia está acima da média na produção de goiaba, e se destaca dos demais produtores”, avalia o técnico.

O presidente da Cohidro, Mardoqueu Bodano, comemorou os números da produção em Canindé e destacou o trabalho do Governo do Estado e do Governo Federal na agricultura familiar.  “A agricultura irrigada é potencial para a geração de emprego e renda na região de Canindé. Assim como a usina hidrelétrica de Xingó gera energia, o perímetro irrigado Califórnia gera emprego, renda e dignidade para os sertanejos do alto sertão sergipano. Por esses e outros motivos que a agricultura familiar é uma prioridade do governador Marcelo Déda e da presidenta Dilma”, destaca Bodano.

IV Festa do Quiabo e II Festival da Goiaba

De 30 de setembro a 1º de outubro, a Prefeitura Municipal de Canindé de São Francisco realiza dois tradicionais eventos da cidade. A IV Festa do Quiabo e II Festival da Goiaba, que acontecem simultaneamente, prometem mobilizar a comunidade local, bem como atrair turistas com uma série de shows, atividades e competições temáticas.

Segundo a moradora da cidade, Shirley Torres Rodrigues, o intuito das festividades é reafirmar a cultura e culinária do local. “É uma maneira de fortalecer a nossa cultura e expor nossa tradição a quem vem de fora”, diz. “Mais do que tradição, o quiabo e a goiaba são importantes geradoras de renda para o município. Nesse sentido a Cohidro tem um papel fundamental por manter este perímetro em Canindé, de onde sai toda essa produção e de onde muitas famílias tiram o sustento”, complementa Shirley.

Fonte: Ascom Cohidro

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais