Juros do cheque especial são os mais altos desde 2003

0

Os juros do cheque especial aumentaram de 159,1% ao ano, em junho, para 162,7% ao ano, no encerramento de julho.  Com o aumento de 3,6 pontos percentuais, o cliente bancário, que não pôde fugir do cheque especial, pagou o juro mais alto da modalidade desde agosto de 2003, quando fechou em 163,9%.

Os dados são do relatório de Política Monetária e Operações de Crédito do Sistema Financeiro, elaborado pelo Departamento Econômico do Banco Central (Depec/BC). Os números referentes às duas primeiras semanas deste mês indicam juros ainda mais altos, em todas as modalidades de crédito, segundo o chefe do Depec, Altamir Lopes.

O aumento de juros, no mês passado, se deu em todas as modalidades de crédito para pessoas físicas. No crédito pessoal, o juro passou de 51,4% ao ano, registrado em junho, para 53,6%. Na aquisição de veículos, subiu de 31,1% para 33,5%.

Nos financiamentos de outros bens, os juros passaram de 56,7% para 57,9% ao ano. Até as operações de crédito consignado em folha de pagamento, consideradas de risco zero, foram corrigidas de 27,7% para 28,4% ao ano.

Os juros para pessoa jurídica (empresas) também cresceram para desconto de duplicatas (de 38,5% para 39,4%), capital de giro (de 30,4% para 32,1%), conta garantida (de 68,8% para 70,7%) e aquisição de bens (de 17% para 17,8%). A única modalidade cujo juro caiu na comparação mensal foi o desconto de promissórias: de 49,3% para 48%.

Fonte: Agência Brasil

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais